Seguidores

Pesquisar este blog

PARA SALVAR AS IMAGENS, CLIQUE NAS IMAGENS PARA VISUALIZAR MELHOR.

1. Escolha a imagem;
2. Clique no botão direito do mouse;
3. Escolha a opção “Salvar Imagem Como ...”
4. Escolha o local a ser salvo a imagem;
5. Clique em salvar e pronto.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Prática Docente



A escola é o lugar em que todas as crianças devem ter as mesmas oportunidades, mas com estratégias de aprendizagem diferentes.
As crianças são o resultado de suas experiências. Para compreender seu desenvolvimento é preciso considerar o espaço em que elas vivem, a maneira como constroem significados, as práticas culturais, etc.
Pense quantos tipos ou estilos de aprendizagem há em sua sala de aula? Alguns estudantes são mais introvertidos e se dão bem fazendo trabalhos manuais. Outros são mais elétricos e precisam de agitação. Não há certo ou errado, melhor ou pior. É tudo uma questão de respeitar as diferenças.
A saída está em promover diversas atividades, de conteúdos diferentes ou iguais, na mesma turma, respeitando o tempo de cada criança.
O ideal é que façam parte da rotina diária de um aluno:
  • trabalho em grupo;
  • trabalho em dupla e
  • trabalho individual.
o mesmo vale para os espaços:
  • no pátio;
  • no laboratório;
  • na sala de aula etc.
E também com materiais pedagógicos que explorem todos os sentidos:
  • massinha,
  • tinta,
  • argila,
  • jogos didáticos esportivos,
  • maquetes,
  • música,
  • dança etc.
A expressão zona proximal de desenvolvimento surgiu com o psicólogo russo Lev Vygotsky  (1896-1934), que a usou para esclarecer como se estruturam a aprendizagem e a interação das pessoas do ponto de vista da construção do conhecimento. Ela é a distãncia entre o nível de desenvolvimento real de um aluno, ou seja, um saber que ele já adquiriu e um nível mais elevado que ele pode alcançar com a ajuda do professor e de colegas que já dominem o ssunto.
Portanto, é de suma importância propor trabalhos em grupo e misturar os alunos que apresentem diversos níveis de aprendizagem para que cada um desenvolva diferentes maneiras de pensar e trabalhar. Esse conceito, hoje largamente difundido, confirma a dese de que a aprendizagem não depende apenas da estrutura biológica, mas também do meio e da qualidade dos estímulos que todos nós recebemos desde a primeira infância. Por isso,é papel de todo o professor ter muito claros os objetivos e rsultados que pretende alcançar com uma atividade, para não exigir mais nem menos da turma. 
Fonte:(revista nova escola, jan/fev/2003)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela sua visita em meu Blog! Deixe um comentário!

CANAL PEDAGÓGICO

Comente:

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também