Seguidores

Postagens animadas Canal Pedagógico

Pesquisar este blog

TRADUTOR

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish
Minha foto
Sidrolândia, Mato Grosso do Sul, Brazil
Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (1999-2003). Tem experiência na área de Educação. Professora concursada-efetiva pela Prefeitura Municipal de Sidrolândia/MS (02 períodos). Exerce a função de Docente na Educação Infantil. Pós Graduada-Especialista em Educação Infantil pela UFMS/MEC/UNDIME//UEMS. Contato: E-mail: pedagogaclaudinha@gmail.com site; http://canalpedagogico.blogspot.com MSN: claus.id@hotmail.com

PARA SALVAR AS IMAGENS, CLIQUE NAS IMAGENS PARA VISUALIZAR MELHOR.

1. Escolha a imagem;
2. Clique no botão direito do mouse;
3. Escolha a opção “Salvar Imagem Como ...”
4. Escolha o local a ser salvo a imagem;
5. Clique em salvar e pronto.

terça-feira, 19 de junho de 2018

Cartaz Festa Junina


Atividade desenvolvida de forma coletiva com a minha turminha do Maternal II (Tema: Festa Junina)/2018.

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Projeto didático "A Importância da Literatura Infantil na Formação do Leitor"



PROJETO DIDÁTICO

 

TEMA: A Importância da Literatura Infantil na Formação do Leitor
INSTITUIÇÃO:
TURMA:  4º Ano
TURNO:
EXECUÇÃO DO PROJETO:   Início:                Término:
EIXOS DE CONHECIMENTO: Linguagem Oral/Escrita
PROFª:
COORDENAÇÃO:
DIREÇÃO: 
INTRODUÇÃO

“O conto de fadas é a cartilha onde a criança aprende a ler sua mente na linguagem das imagens, a única linguagem que permite a compreensão antes de conseguirmos a maturidade intelectual (Bettelheim).
Partindo da afirmação do autor vemos o quanto a literatura infantil exerce papel fundamental no processo de formação da criança.
A literatura infantil está presente em nossa infância, passada de geração para geração e, é uma herança cultural, que não se perde no tempo, sempre encantando seus leitores, pois não perdem sua atualidade porque tratam da essência humana. São narrativas que giram em torno de questões fundamentais que habitam dentro de cada um de nós. Tudo isso apresentado por meio de uma linguagem simbólica.
É por meio da literatura infantil que a criança fará o elo entre o real e a fantasia, aprendendo a se conhecer, ampliando, transformando e enriquecendo suas experiências de vida, sua percepção do ser humano, do mundo, e do outro e de si mesmo.
No entanto, quantas crianças chegam a vida adulta, lamentando que nunca seus pais os seus professores leram para eles esses contos encantadores, carregados de significados e perdem uma etapa de magia em suas vidas.

JUSTIFICATIVA
Observando as dificuldades de produção de texto no ensino fundamental que os alunos em que lhes é solicitada essa modalidade na escola e pela necessidade de formar leitores com bom desempenho em leitura e interpretação ajudando os pais a um melhor desempenho no ranking mundial.
Este projeto tem por finalidade proporcionar à criança a interação com os contos de fadas, fazendo a interação com os contos de fadas, fazendo uso da imaginação, conseguindo assim suprir suas deficiências no futuro.
O referido tema será trabalhado na disciplina de Mediação Curricular, promovendo uma aprendizagem significativa ao educando.

CONTEÚDOS:
Leitura, escrita e interpretação de textos.

ÁREA DE CONHECIMENTO: Língua Portuguesa

PÚBLICO ALVO:
Alunos do 4º Ano do Ensino Fundamental da Escola Municipal......, Município de ......... Mato Grosso do Sul, com idade entre 9 e 14 anos, pertencendo a famílias de classe social baixa e média.

OBJETIVO GERAL
O objetivo geral desse projeto,é o de fomentar o gosto pela leitura desde o início das etapas de escolaridade. O incentivo do adulto deve ser fundamental nesse processo, sendo o mediador entre o aluno e o livro.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
  • Desenvolver o gosto pela leitura de histórias infantis,poesias, lendas e fábulas;
  • Utilizar as leituras através da imaginação para elaboração e produção de textos;
  • Formar novos leitores e produtores textuais;
  • Ler poema com entonação e ênfase nas rimas;
  • Recontar um conto lido.
METODOLOGIA
Coletar os conhecimentos prévios e levantar as hipóteses dos alunos em relação aos principais personagens dos textos literários trabalhados em sala.
Realizar atividades em grupos e individuais por meios de diversos textos literários infantis.
Leitura compartilhada com os alunos de obras referentes aos projetos em execução; Solicitar que as crianças dêem um novo final ou início à história lida;
Conhecer vida e obra do autor;
Fazer ilustração dos poemas trabalhados em sala;
Fazer estudos individuais e coletivos dos dados contidos nos livros;
Fazer sessões de explanação dos conteúdos evidenciados na obra;
Fazer declamação de poesias;
Os alunos entrevistarão os avós, vizinhos e outras pessoas com a finalidade de colher causos para narrarem em sala de aula para os demais colegas. 
As atividades serão desenvolvidas de formas coletivas e individuais com a interação professor e aluno.

RECURSOS DIDÁTICOS
Sulfite, lápis de cor, DVD “Peter Pan e os Meninos Perdidos”,  livros de literatura infantil do acervo da biblioteca escolar, TV, aparelho de DVD, máquina fotográfica, papel manilha, cola, tesoura, Xerox etc. 

CULMINÂNCIA
Será realizada uma leitura do texto literário infantil “Macaco Simão” Posteriormente, será feita uma dramatização deste texto com os alunos em sala de aula.
AVALIAÇÃO
A avaliação será feita por meio de registros do desenvolvimento da aprendizagem e a participação dos alunos  de forma individual quanto coletiva no decorrer do desenvolvimento do projeto. Será observado também, a criatividade e o conhecimento alcançado, o senso crítico dos alunos durante os diversos tipos de leituras feitas em sala  aula durante a execução deste projeto.

REFERÊNCIA BILBIOGRÁFICA:

BETTELHEIM, Bruno. Psicanálise dos Contos de Fadas. 13 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1980.




domingo, 10 de junho de 2018

domingo, 3 de junho de 2018

Explorando os sólidos geométricos com os pequenos

Objetivo(s) 

  • Compreender propriedades básicas dos sólidos geométricos
  • Conhecer o nome de alguns sólidos

Conteúdo(s) 

Sólidos geométricos

Ano(s) 

Creche, Pré-escola

Tempo estimado 

Cinco aulas

Material necessário 

Caixas de papelão e objetos de tamanhos e formas variados (retangulares, cilíndricos, em forma de prisma etc.).

Desenvolvimento 

1ª etapa 
Realize uma atividade de levantamento de informações sobre os sólidos apresentando as caixas e os objetos que você levou para a classe e fazendo perguntas: quantos lados tem cada uma? Alguma delas tem lados iguais? Quais são mais parecidas entre si? Por quê? Quais são as mais adequadas para empilhar? Como se chamam?
 
2ª etapa 
Divida a classe em grupos de quatro crianças. Entregue a cada um caixas e objetos e lance o desafio: construir a torre mais alta possível com o material disponível. Explique que, para a torre não cair, eles devem debater entre si e levar em conta a forma com que os objetos têm de ser usados. Durante a tarefa, você pode propor algumas questões: como posicionar um cilindro para fazer que a pilha continue a subir? Uma embalagem de CD fica mais alta de pé ou deitada? Qual o melhor jeito para manter o equilíbrio? Verifique o critério usado pelas crianças para classificar as figuras e usá-las na construção.
3ª etapa 
Para refletir sobre a etapa anterior, proponha que a turma examine as duas construções. Na torre campeã, que tipos de caixa foram usados? Por que ela ficou mais alta? Como conseguiu sustentar o equilíbrio? Se uma das torres tiver caído, leve a classe a entender o porquê. Quais caixas foram usados na base? Eles estavam apoiados nos lados mais largos ou mais finos? Em que medida isso fez diferença?
4ª etapa 
Reúna novamente os objetos e as caixas e organize um novo jogo: agora, um dos grupos terá de pegar, no menor tempo possível, o sólido descrito pelo outro grupo. A dificuldade consiste em não poder apontar o objeto. Se a criança sentir dificuldade, intervenha, perguntando, por exemplo, quantos lados tem o objeto, se são iguais etc.
5ª etapa 
Registre num cartaz as perguntas mais importantes que a turma formulou para diferenciar um sólido do outro. Com base nessas diferenças, apresente os nomes de alguns sólidos (cubo, paralelepípedo, cilindro, esfera, pirâmide e prisma são os principais) e proponha às crianças jogar de novo - dessa vez, relembrando as perguntas e os novos nomes aprendidos. No fim, promova uma reflexão coletiva: ficou mais fácil jogar com as novas dicas?

Avaliação 

Avalie a evolução de cada criança em termos da caracterização dos diferentes sólidos e do vocabulário específico (verifique, por exemplo, se indicativos genéricos do tipo "aquele ali" e "a figura pontuda" foram substituídos por outros mais próximos da linguagem geométrica). Se a turma apresentar dificuldades, retome as atividades com algumas variações, trabalhando com duplas, em vez de grupos, e propondo desafios diferentes, como localizar a pirâmide, em vez do cubo, no meio dos sólidos.
Créditos: Priscila Monteiro Formação: Coordenadora da formação em Matemática da prefeitura de São Caetano do Sul, SP, e formadora do projeto Matemática É D+.
https://novaescola.org.br/conteudo/6113/explorando-os-solidos-geometricos-com-os-pequenos

Formigas trabalhadoras

Objetivo(s) 

- Conhecer a rotina de um formigueiro e sua organização social.
- Promover o contato com o procedimento científico por meio da pesquisa e da observação.

Conteúdo(s) 

Formigas: organização e divisão de tarefas.

Ano(s) 

Creche, Pré-escola

Tempo estimado 

Um mês.

Material necessário 

Livros, jornais, revistas, fotografias, ilustrações e DVDs sobre formigas, agenda, três potes com tampas furadas com agulhas e duas mangueiras plásticas transparentes, algodão, água, açúcar, um formigueiro pequeno, folhas e flores.

Desenvolvimento 

1ª etapa 
Visite um jardim para que os pequenos observem as formigas e contem o que sabem sobre elas. Outra opção é levar algumas para a sala, em potes com terra e tampas furadas (para permitir que os animais respirem). Com base no que for dito, levante outras questões sobre a rotina desses animais. Use a agenda para registrar, a partir de então, as observações dos pequenos.
2ª etapa 
Reorganize o formigueiro: com as mangueiras, conecte os potes entre si, em linha reta. No do centro, ponha o formigueiro. Reserve o da esquerda para as folhas e flores. Deixe o último vazio, pois será nele que as formigas vão depositar o lixo da colônia e as que morrerem. Proponha que as crianças pesquisem se as formigas realmente comem açúcar e onde conseguem os alimentos. Partindo das respostas delas, coloque o algodão umedecido com água e açúcar no pote da esquerda, junto com as folhas e as flores, que devem ser substituídas por novas semanalmente para não mofar.
3ª etapa 
Ainda com os materiais ao alcance de todos, ajude a turma a organizar as informações reunidas até o momento. Peça que as crianças ditem para você textos sobre as descobertas e selecionem imagens a fim de organizar cartazes para expor na sala. Anote tudo na agenda, inclusive os comentários das crianças sobre o formigueiro.
4ª etapa 
Conte a história A Cigarra e a Formiga. Converse sobre a divisão dos trabalhos apresentados no conto e estimule a turma a comparar com as informações pesquisadas: a rainha é a responsável pela reprodução, os soldados pela defesa da colônia e as operárias pela limpeza e busca de alimentos. Todas as formigas têm o mesmo trabalho da representada no conto?
5ª etapa 
Organize uma visita a um centro de estudos sobre formigas para observar formigueiros maiores, de diferentes espécies, conversar com biólogos e aprender detalhes sobre o trabalho dos insetos sociais.
6ª etapa 
Revise o conteúdo anotado na agenda para organizar outros cartazes. Se ainda existirem questões sem respostas, prossiga a pesquisa.

Avaliação 

Avalie os conhecimentos que as crianças tinham a respeito do assunto antes e o que sabem agora, relendo as anotações da agenda e analisando a colaboração de cada uma na organização dos cartazes. Elas devem saber as funções ocupadas pelas formigas e as diferenças entre as apresentadas em livros infantis e as reais. E têm de ser capazes de comparar as operárias, os soldados e a rainha com a sociedade humana, ressaltando diferenças e semelhanças.
Créditos: Denise Tonello Formação: Coordenadora pedagógica do Colégio Miguel de Cervantes, em São Paulo, SP.
https://novaescola.org.br/conteudo/6156/formigas-trabalhadoras

Descobrindo o livro e o prazer em ouvir histórias

Objetivo(s) 

  • Criar o hábito de escutar histórias.
  • Favorecer momentos de prazer em grupo.
  • Enriquecer o imaginário infantil
  • Favorecer o contato com textos de qualidade literária.
  • Valorizar o livro como fonte de entretenimento e conhecimento.

Para crianças de até 1 ano 
  • Dirigir-se aos livros por meio de falas, gestos, balbucios (gritinhos, sorrisos, vocalizações, entre outros) e expressões faciais.
  • Imitar sons com base na fala do educador.
  • Estabelecer situações comunicativas significativas com adultos e outras crianças do grupo.
  • Reconhecer o livro como portador de história, manifestando prazer ao explorá-lo e ao ser convidado pelo professor para escutar o que será lido.
  • Ouvir o professor com progressiva atenção.


Para crianças de até 3 anos 
  • Ampliar repertório de palavras e histórias conhecidas.
  • Construir frases e narrativas com base nas conversas sobre os livros.
  • Entreter-se com leituras mais longas participando atentamente.
  • Reconhecer e nomear alguns livros.
  • Manipular o livro, folheando as páginas e fazendo referências às imagens.
  • Cuidar do livro e valorizá-lo.
  • Imitar o adulto lendo histórias.

Tempo estimado 

Todos os dias

Material necessário 

  • Livros de literatura
  • almofadas
  • bebês-conforto

Desenvolvimento 

1ª etapa 
O trabalho começa com a sua preparação. Selecione livros com textos bem elaborados e ilustrações de qualidade. As histórias devem ter estruturas textuais repetitivas que favorecem a compreensão e a memorização. Programe-se para disponibilizar os livros em diferentes momentos da rotina. Promova conversas sobre eles fazendo perguntas e descrições, destacando os personagens e retomando as partes que as crianças consideram mais queridas. Após apresentar um livro novo, repita a leitura dele várias vezes para que a turma possa se apropriar da narração, memorizar partes da história e interagir com seu conteúdo. Alterne, na semana, a leitura de histórias repetidas e a introdução de novas. Esteja sempre atento às iniciativas das crianças e responda a elas por meio da fala, de gestos e de expressões faciais. Sempre promova conversas entre as crianças sobre o que foi lido.
2ª etapa 
Leia o livro para conhecer bem a história. Treine a entonação e a fluência da leitura lendo em voz alta para si mesmo antes de apresentá-lo aos pequenos. Prepare o espaço para que todos fiquem confortáveis. Eles podem deitar-se entre almofadas, sentar-se em roda ou no bebê-conforto. É importante que todos consigam ver o livro. Apresente-o para o grupo destacando as informações da capa (título, ilustração, nome do autor, ilustrador etc.). Faça uma breve apresentação da história despertando o interesse em escutá-la. Leia de forma fiel ao texto e vá mostrando as ilustrações conforme lê. No fim, converse com as crianças sobre a história: pergunte se e do que gostaram, volte às partes comentadas, mostre novamente as ilustrações e deixe que elas explorem o livro.
3ª etapa 
Leia a mesma história nos outros dias observando sempre o interesse do grupo. Observe se solicitam a leitura do livro. Sempre que for iniciar a atividade, cuide do espaço garantindo que este seja sempre um momento confortável e prazeroso. Mostre o livro às crianças e pergunte se lembram da história: pergunte sobre o título, os personagens e os acontecimentos que lembram. Só então conte novamente a história. Essa atividade pode ocorrer em média três vezes na semana.
4ª etapa 
Prepare-se para a apresentação de um novo livro realizando os mesmos procedimentos relatados na atividade 1. Inicie conversando com as crianças sobre aquele que já conhecem. Conte que irá apresentar uma nova obra que tem uma história diferente. Repita o que foi destacado anteriormente durante a leitura e a conversa sobre a história
 
Quer saber mais?
Bibliografia 
A Casa Sonolenta, Audrey Wood, 32 págs., Ed. Ática, tel. 0800-115-152, 20,90 reais
Bruxa, Bruxa, Venha a Minha Festa, Arden Druce, 32 págs., Ed. Brinque-Book, tel. (11) 3032-6436, 37,50 reais
Como os Dinossauros Dizem Boa Noite?, Jane Yolen, 32 págs., Ed. Globo, tel. (11) 6198-1488, 21 reais
Da Pequena Toupeira que Queria Saber Quem Tinha Feito Cocô na Cabeça Dela, Werner Holzwart, 24 págs., Ed. Companhia das Letras, tel. (11) 3707-3500, 25 reais
Educação de 0 a 3 Anos: O Atendimento em Creches, Elinor Goldschmied e Sonia Jackson, 312 págs., Ed. Artmed, tel. 0800-703-3444, 59 reais
O Caso do Bolinho, Tatiana Belinky, 32 págs., Ed. Moderna, tel. 0800-17-2002, 22,50 reais
O Coletivo Infantil em Creches e Pré-escolas: Falares e Saberes, Ana Lúcia Goulart de Faria (org.), 120 págs., Ed. Cortez, tel. (11) 3611-9616, 18 reais
O Porco Narigudo: Um Livro de Dobraduras, Keith Faulkner, 16 págs., Ed. Companhia das Letras, 42 reais
O Ratinho, o Morango Vermelho Maduro e o Grande Urso Esfomeado, Audrey Wood, 32 págs., Ed. Brinque-Book, 27,50 reais
O Sapo Bocarrão: Um livro com Dobraduras Surpresas, Keith Faulkner, 12 págs., Ed. Companhia das Letras, 42 reais
O Soluço do Lúcio: Um livro de Dobraduras, Keith Faulkner, 14 págs., Ed. Companhia das Letras, 42 reais
Os Fazeres na Educação Infantil, Maria Clotilde Rossetti-Ferreira (org.), 199 págs., Ed. Cortez, 35 reais
Tanto, Tanto! Trish Coocke, 48 págs., Ed. Ática, 40,90 reais

Avaliação 

Verifique se as crianças ficam atentas a sua fala e às ilustrações. Veja se conseguem comentar a história com os colegas e se respondem às perguntas feitas sobre um livro já conhecido. Observe se conseguem se lembrar se algum título conhecido quando perguntado.
Créditos: Beatriz Ferraz Formação: Coordenadora de projetos de formação da Escola de Educadores e coordenadora pedagógica do Centro de Educação e Documentação para Ação Comunitária (Cedac)
https://novaescola.org.br/conteudo/5925/descobrindo-o-livro-e-o-prazer-em-ouvir-historias

Botões compartilhar

Feliz Dia do Professor!!!!

Comente:

Postagens recentes

Anuncie aqui. Preencha Formulário de contato abaixo

Nome

E-mail *

Mensagem *

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também