Seguidores

Pesquisar este blog

PARA SALVAR AS IMAGENS, CLIQUE NAS IMAGENS PARA VISUALIZAR MELHOR.

1. Escolha a imagem;
2. Clique no botão direito do mouse;
3. Escolha a opção “Salvar Imagem Como ...”
4. Escolha o local a ser salvo a imagem;
5. Clique em salvar e pronto.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Atividade realizada com o tema "Dia do Circo"

Atividade realizada de forma coletiva com a minha turminha relacionada com o tema "Dia do Circo" (2015).

domingo, 8 de março de 2015

É hora do espetáculo: Dia do Circo


Vamos comemorar o Dia do Circo e trazer a magia do picadeiro para a escola

Por Vanessa Prata

Objetivos:
Vivenciar momentos de conhecimento sobre o circo
Despertar talentos Estimular a afetividade por meio da brincadeira circense
Faixa etária: 4 a 6 anos
Duração:
Uma semana


 

No dia 27 de março, comemora-se o Dia do Circo. Aproveite a data para explorar personagens, jogos e brincadeiras do picadeiro que podem ser adaptados para a escola, com as atividades propostas por Sheyla Faccin, Coordenadora do Ensino Infantil, e Mary Coutinho, Orientadora Educacional, do Colégio Madre Carmen Sallés, de Brasília (DF). "Com o tema circo, é possível trabalhar de forma lúdica a coordenação motora das crianças e o conhecimento de cores e formas, desenvolver a linguagem e ampliar o vocabulário com histórias, além de promover a socialização e integração entre os alunos e até mesmo com os pais", comenta Sheyla. Aproveite ainda para conversar com as crianças sobre a proibição de animais em circo, reforçando que muitos deles sofriam maus-tratos ou não eram alimentados corretamente e que é importante respeitarmos os direitos dos animais.
Partilhar alegria
Primeira aula: receba os alunos caracterizado como um personagem circense e, em roda, mantenha uma conversa informal sobre o circo. Pergunte se as crianças já visitaram o circo, que personagens podem ser encontrados lá e por que os animais não devem ser usados no circo. Você pode aproveitar e contar a história sugerida na página 26, na seção Contação de Histórias.
Segunda aula: peça aos alunos que procurem figuras sobre o circo. Procure ainda músicas com a temática do circo e toque em sala de aula. Sugestões: Somos Todos Iguais Nesta Noite, de Ivan Lins, O Circo Já Chegou, da Xuxa, O Circo da Alegria, de Atchim e Espirro, O Circo, do Quarteto em CY.
Terceira aula: realize trabalhos de artes visuais: colagem, desenho, pintura (no rosto, em papel, em tecido) com o tema circo.
Quarta aula: dê continuidade aos trabalhos manuais construindo a peruca, o nariz de palhaço e a maquete de circo com as crianças. É possível ainda construir uma miniperna de pau com duas latinhas vazias e barbante amarrando-as aos pés.
Quinta aula: encerre a semana com uma dramatização (na forma de apresentações de circo ou um musical) realizada pelos professores e alunos caracterizados.
  
Você sabia?
O Dia do Circo foi criado em homenagem ao palhaço Piolim, Abelardo Pinto, que comandou o Circo Piolim por mais de 30 anos. Ele nasceu em 27 de março de 1897, em Ribeirão Preto (SP), e morreu em 1973.

Você sabia?
É quase impossível determinar uma data específica de quando o circo nasceu, mas já foram encontradas pinturas de 5 mil anos na China com figuras de acrobatas, contorcionistas e equilibristas.

 Saiba mais!
O Projeto de Lei pela proibição federal do uso de animais em circos foi aprovado, por unanimidade, pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados e segue agora para o Plenário. O uso de animais em circo já é proibido nos seguintes Estados: Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Espírito Santo. Fonte: WSPA Brasil (Sociedade Mundial de Proteção Animal) - http://migre.me/3MH1M

Sábado de alegria
Se houver disponibilidade para um evento maior, envolvendo educadores, alunos, pais e comunidade externa, marque um evento para um sábado de manhã, com todos caracterizados como personagens de circo ou realizando atividades circenses, como malabarismos, perna de pau etc. Se possível, contrate um palhaço profissional para fazer uma sensibilização com o público, buscando interação de toda a comunidade escolar.
Podem ser montadas ainda barraquinhas de comes e bebes e brincadeiras, com a participação dos pais (caracterizados) e renda beneficente, o que serviria de motivação e oportunidade para se vivenciar valores como o espírito de solidariedade e a união entre as famílias. Paralelamente às brincadeiras nas barracas, poderiam ocorrer oficinas baseadas em atividades de circo: perna de pau, máscaras, maquiagem etc.

Atividades
Faça agora as atividades criadas e executadas pela arte-educadora Simone Faure Bellini.

 Nariz de palhaço

 Materiais:
Tinta acrílica brilhante vermelha
Pincel
Alicate e prego para furar a embalagem
Embalagem de plástico de ovinhos surpresa (Kinder ovo)
Elástico fino ou fio de silicone




1. Pinte a embalagem plástica com tinta acrílica




2. Aqueça a ponta do prego, segurando-o com o alicate, 
e faça um furo nas laterais da embalagem para passar o elástico.

 3. Prenda o elástico nos furos.

 Peruca do palhaço

 

 Materiais:
Meia-calça velha (cor clara)
Lã colorida
Cola quente
Tesoura
 1. Corte a parte de cima da meia-calça, cerca de 5 cm abaixo do cavalo.
2. Vire a meia do lado avesso, dê um nó conforme a foto e vire-a novamente.

 

3. Faça dois pompons com a lã colorida. Corte as pontas.
4. Cole os pompons nas laterais da meia.


 Maquete de circo

 Materiais:
Papel-cartão
Isopor
Juta
TNT colorido
Palito de churrasco
Tesoura
Cola quente
Papel crepom
Canaleta plástica (para o mastro)
Bonequinhos plásticos
Bandeirinha de EVA

1. Corte um círculo de papel-cartão seguindo o molde e encape-o com a juta. Na parte de trás do círculo, cole pedaços de isopor no centro e nas laterais.

2. Faça uma moldura de papel-cartão (molde) e cole palitos de churrasco nas colunas para dar firmeza.


3. Cole a moldura ao redor do círculo, para apoiar a tenda. Decore as laterais colando papel crepom.


4. Faça um furo com a tesoura no centro do círculo de juta e finque o mastro (canaleta plástica).

 5. Franza pedaços de TNT laranja e azul para a tenda. Cole-os no mastro do circo e, 
com a tesoura, acerte para que todas as pontas fiquem na altura da moldura.


 6. Decore o topo da tenda com uma bandeira de EVA fixada num pedaço de palito de churrasco.
 Cole um pedaço de papelcartão com a palavra "Circo" 
em um dos lados e decore o picadeiro com bonequinhos plásticos.


 Saiba mais!
Para decorar o picadeiro do circo, você pode criar personagens com bonequinhos plásticos:
Equilibrista: amarre ou cole um barbante de um lado até o outro do circo e cole um bonequinho segurando um guarda-chuva feito com palito de dente e papel crepom.
Malabarista: pinte outro bonequinho e cole bolinhas de papel crepom em volta dele.
Bailarina: cole papel crepom franzido numa bonequinha imitando uma saia e um maiô.
Mágico: pinte uma roupinha preta em outro bonequinho e as mãos de branco, como luvas. Cole um pedaço de arame numa mão e um pedaço de EVA preto na forma de uma cartola na outra.

Fonte:  http://revistaguiainfantil.uol.com.br/professores-atividades/96/imprime211792.asp

sábado, 7 de março de 2015

quinta-feira, 5 de março de 2015

Projeto didático Identidade



PROJETO DIDÁTICO
TRABALHANDO A IDENTIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL


INSTITUIÇÃO:
MUNICÍPIO:
TURMAS:Maternal II
TURNOS:
PROFª:
DURAÇÃO DO PROJETO:
INÍCIO:
COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA
DIREÇÃO PEDAGÓGICA:
AREAS DE CONHECIMENTO: Linguagem Oral/Escrita, Identidade/Autonomia e Música

JUSTIFICATIVA:
A construção da identidade se dá por meio das interações da criança com o seu meio social. A escola é um universo social diferente da família, favorecendo novas interações, ampliando desta maneira seus conhecimentos a respeito de si e dos outros. A auto-imagem também é construir a partir das relações estabelecidas nos grupos em que a criança convive. Um ambiente farto em interações, que acolha as particularidades de cada indivíduo, promova o reconhecimento das diversidades, aceitando-as e respeitando-as, ao mesmo tempo em que contribui a construção da unidade coletiva, favorece a estruturação da identidade, bem como de uma imagem positiva.
Segundo o Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil, a identidade é um conceito do qual faz parte a idéia de distinção, de uma marca de diferença entre as pessoas a começar pelo nome. Segundo todas as características físicas, de modo de agir, de pensar e da história pessoal.
Segundo Emília Ferreira, “o nome próprio pode ser considerado apenas como uma palavra a mais, mas também singular muito diferente das outras palavras em muitos aspectos”.
Portanto, nós, professores de educação infantil, devemos propiciar atividades que possibilitem os estudantes a ter o conhecimento de si mesmo, levando-os a descobri-los, sentindo que possuem um nome, uma identidade e que fazem parte de um conjunto de pessoas em casa, na escola, na comunidade e que acima de tudo são muito importante.

OBJETIVO GERAL:
Dar condições as crianças para aprender o seu nome próprio, conhecer as suas características físicas (cabelo, pele, partes do corpo, cor dos olhos etc.) através de uma prática lúdica visando contribuir para o desenvolvimento integral da criança no processo de ensino-aprendizagem, favorecendo os aspectos físicos mental, afetivo-emocional e sócio- cultural, buscando estar sempre condizendo com a realidade dos educandos.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
Criar estratégias de ensino que levem as crianças à:
·         Conhecer o seu nome e suas características físicas ( corpo);
·         Ampliar gradativamente suas possibilidades de comunicação e expressão;
·         Desenvolver e explorar a produção da arte através do desenho, música e brincadeiras;
·         Interessar-se pelas próprias produções, pelas de outras crianças e pelas diversas obras artísticas;
·         Desenvolver a auto-estima;
·         Reconhecer seus limites e dos outros;
·         Desenvolver o auto conceito positivo através da afetividade;
·         Explorar e identificar elementos da música para se expressar, interagir com os outros e ampliar seu conhecimento do mundo;
·         Incentivar a criança a se relacionar com outras pessoas, sentindo-se segura e construindo sua identidade e autonomia;
·         Apreciar o próprio nome e dos colegas;
·         Chamar os colegas pelo nome;
·         Distinguir o próprio nome entre os nomes dos colegas;
·         Desenvolver atividades lúdicas envolvendo os nomes dos colegas, através de músicas; 
·         Desenvolver a coordenação motora fina/grossa;
·         Conhecer as cores;
·         Conhecer as suas roupas e sapatos;
·         Aprender a tirar e vestir a sua roupa;
·         Aprender a colocar e tirar o sapato;
·         Conhecer os seus materiais escolares;

METODOLOGIA ( Procedimentos Didáticos):

Serão desenvolvidas diversas atividades relacionadas com o tema em destaque tais como:

1ª Atividade (em sala)
Formar uma roda de conversa para dialogar com as crianças sobre a importância do nome, mostrando diversas fotos de crianças negras, brancas, japonesas, louras e etc.; conscientizando-as sobre a importância do respeito e da valorização com as diversas raças e etnias.
Será argumentado com as crianças sobre a mistura de raças e cultura de cada um:
 -Você se parece com alguma das crianças da cena?
-E seus colegas de turma? 
-Quais são as semelhanças? -E as diferenças?
Levar os alunos para se olhar no espelho: Nessa atividade será destacado que cada criança é única apesar de apresentar semelhanças com outras pessoas.
Colocar as crianças diante de um espelho e estimular a observação de suas características. Incentivá-las a perceber e a identificar as semelhanças e as diferenças de cada um.

2ª Atividade (extra sala)
Brincar de “Vamos passear no bosque?”, trocar a palavra Lobo pelo nome da criança. Cantar músicas para trabalhar o nome de cada criança

3ª Atividade (em sala)

Fazer o contorno do corpo da criança no papel Kraft, para que o grupo complete o desenho com as partes do corpo. Em seguida, as crianças irão recortar papéis coloridos para fazerem roupinhas e colarem no corpo desenhado. O corpo deve ficar “parecido” com a criança. Depois irão desenhar cabelos, olhos, boca e nariz.

4ª Atividade (em sala)
Fazer um autorretrato do rostinho das crianças para colar nas maçãs de nossa árvore fixada na parede de nossa sala de atividades.

5ª Atividade (em sala)
Fazer contorno da mão das crianças. Pintar as mãos das crianças para “carimbá-las” no papel pardo juntamente com a foto do rosto de cada criança e o nome.
Ainda, serão trabalhadas atividades de pinturas no sulfite, papel pardo com o tema em destaque.

RECURSOS DIDÁTICOS
Papel craft (pardo), Cola, Tesoura, Papéis coloridos, Canetinha, lápis de cor, giz de cera, lã, tinta guache, sulfite, CDs, aparelho de som, aparelho de televisão, brinquedos, etc. 

AVALIAÇÃO
A avaliação será por meio de registro através da observação diária da criança no desempenho de suas atividades, se houve concentração, interação com as atividades e colegas durante a execução desse projeto.

REFRERÊNCIA:
BRASIL, Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Formação Pessoal e Social, v.2,  Brasília, MEC/SEF, 1998.

Atividades: A família






atividades identidade






quarta-feira, 4 de março de 2015

lembrancinha em homenagem ao Dia do Circo

Lembrancinhas confeccionadas de forma coletiva com meus alunos em homenagem ao Dia do Circo.

atividade Dia do Circo na ducação Física


 Atividades circenses na Educação Física

Objetivos
- Ampliar o conhecimento dos alunos a respeito do circo.
- Conhecer e aprender técnicas simples de movimentos presentes nos espetáculos, como acrobacias e malabarismos, observando normas de segurança individual e coletiva.
- Desenvolver a capacidade de comunicação corporal, explorando as características expressivas e criativas das práticas circenses.

Conteúdos
Técnicas específicas para a realização de:
- Acrobacias com cordas.
- Acrobacias de solo: roda, ponte, vela e parada de mãos.
- Equilíbrio de objetos.
- Malabares com bolas e lenços.
- Dramatização de cenas com palhaços.

Anos
4º e 5º anos.

Tempo estimado
15 aulas.

Material necessário
Computador com acesso à internet, 3 cordas grandes (cerca de 3 metros), cordas individuais, colchonetes, bolas de papel (de 2 a 3 por aluno), lenços de tule (de 2 a 3 por aluno), arcos, tambor, nariz de palhaço, peruca e outros adereços.

Flexibilização
Alunos com necessidades educacionais especiais participam de todas as atividades. Nas aulas com cordas, é possível diferenciar o ritmo das batidas, ampliando o tempo de deslocamento, ou alternar batidas no chão e no ar de modo que os cadeirantes possam transpor a corda enquanto ela estiver no alto. Nas atividades que envolvem malabarismo, é possível usar bolas maiores e/ou mais leves e balões presos por barbantes no pulso dos alunos que necessitarem de recursos como esses. Já na formação de pirâmides humanas, quem tem alguma dificuldade de mobilidade pode assumir posições tanto na base quanto fora dela - basta adaptar a figura a ser realizada a fim de que o aluno consiga se equilibrar, com ou sem auxílio. A ajuda de professores e colegas também pode ser uma boa medida para acrobacias no solo.

Desenvolvimento
1ª etapa
Em uma roda de conversa, peça aos alunos que relatem seus conhecimentos sobre o circo e as brincadeiras realizadas no picadeiro. Convide-os a realizar as brincadeiras citadas e sugira outras complementares, tais como andar sobre uma corda no chão, simulando uma corda bamba, ou imitar um palhaço.

2ª etapa
Pesquise com a turma algumas informações sobre o circo. Na internet, há sites específicos como o da Academia Brasileira de Circo. Finalize essa etapa com uma sessão de filmes sobre diferentes tipos de circo e modalidades circenses, como malabarismo, acrobacias, dramatizações e equilíbrios. No Youtube, procure pelo canal oficial do Cirque Du Soleil e pelos vídeos do Circo da China, por exemplo. A partir do material coletado na pesquisa, da reação dos alunos diante dos filmes e dos relatos da etapa anterior, organize um roteiro com os pontos mais pertinentes e interessantes de serem desenvolvidos nas aulas práticas.

3ª etapa
Inicie uma sequência de aulas sobre as técnicas das modalidades circenses, começando pelas mais simples - como as atividades com corda - e deixando as mais complexas para o final - como acrobacias de solo e equilíbrio sobre o tambor. Exemplo de cronograma: 2 aulas para acrobacias com corda, 2 para malabarismos, 1 para dramatizações, 2 para acrobacias de solo, 1 para equilíbrios simples e pirâmides, 1 para equilíbrio sobre o tambor e 3 aulas mesclando os conteúdos em circuito. Em todas as aulas, é importante distribuir os alunos de forma a evitar ao máximo a formação de filas longas. Dependendo da disponibilidade de materiais, é possível dividir a turma em grupos.

Avaliação
Use o diagnóstico inicial como referência para avaliar a ampliação do repertório dos alunos sobre o tema circo. Quais modalidades e brincadeiras circenses eles conheciam e quais conhecem agora? A gama de movimentos corporais que são capazes de realizar aumentou? Que técnicas de movimentos presentes nos espetáculos foram aprendidas? A capacidade de se comunicar por meio do corpo foi aprimorada? Verificar e registrar, ao longo de todas as etapas, os avanços e as dificuldades ajudará a fazer esse balanço final.

 fonte: http://revistaescola.abril.com.br/fundamental-1/atividades-circenses-educacao-fisica-674674.shtml

CANAL PEDAGÓGICO

Comente:

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também