Seguidores

Pesquisar este blog

PARA SALVAR AS IMAGENS, CLIQUE NAS IMAGENS PARA VISUALIZAR MELHOR.

1. Escolha a imagem;
2. Clique no botão direito do mouse;
3. Escolha a opção “Salvar Imagem Como ...”
4. Escolha o local a ser salvo a imagem;
5. Clique em salvar e pronto.

sábado, 21 de junho de 2014

atividades alimentação






quinta-feira, 12 de junho de 2014

Projeto didático" Festa Junina"



INSTITUIÇÃO:
TURMA: Maternal II
TURNO: Vespertino
PROFESSORA: Cláudia
TEMA: FESTA JUNINA
DURAÇÃO DO PROJETO: Início:          Término:
DIREÇÃO:

JUSTIFICATIVA:
Este projeto didático visa destacar para os alunos o conceito de Festa Junina e sua origem, os santos comemorados em junho, em todo o Brasil, desde o período colonial: Santo Antônio, São João e São Pedro. Destacar ainda que no nordeste brasileiro principalmente, estes santos são reverenciados e pode-se dizer que a importância destas festas, para as populações nortista e nordestina, ultrapassa a do Natal, principal festa cristã, e que elas são, historicamente, o evento festivo mais importante destas regiões, tanto cultural como politicamente. Explicar para os mesmos que as festas juninas gira em torno de três datas principais: 13 de junho, festa de Santo Antônio; 24 de junho, São João e 29 de junho, São Pedro e, que durante este período, o país fica praticamente tomado por festas. De norte a sul do Brasil comemoram-se os santos juninos, com fogueiras e comidas típicas. Explicar para os alunos que é interessante notar que não apenas o dia, propriamente dito, mas todo o mês, é considerado como tempo consagrado a estes santos na região e, principalmente, as vésperas , que é quando se realizam os sortilégios e simpatias, a parte mágica da festa típica do catolicismo popular. Inúmeras adivinhações a respeito dos amores e do futuro (com quem se vai casar, se se é amado ou amada, quantos filhos se vai ter, se vai morrer jovem ou ganhar dinheiro etc.) são feitas nas vésperas do dia dos santos, em geral de madrugada.

OBJETIVOS:
Levar os alunos à:
- conhecer as características das festas juninas em diferentes regiões do país;
- valorizar e demonstrar atitudes de respeito ao trabalho e ao homem do campo;
- desenvolver o interesse e gosto pela tradição;
- planejar a realização de uma Festa Junina;
- resgatar a memória das Festas Juninas;
- enriquecer o conhecimento dos alunos quanto à história das Festas Juninas;
- distinguir a diferença dos costumes das Festas Juninas no Brasil e no mundo;
- sociabilizar os alunos;
- desenvolver o ritmo, compasso e criatividade;
- conhecer a história dos santos padroeiros: Santo Antonio, São João e São Pedro.
ORNAMENTAÇÃO DA SALA: Mural com bandeirinhas e balões, chapéus de palha, etc.
CONTEÚDOS: As festas juninas: características, roupas típicas, danças, alimentos.

DESENVOLVIMENTO:
Montagem de painés juninos para enfeitar a sala de aula.
Leitura de textos informativos.
Leitura de poesias e/ou músicas juninas.
Leituras de textos criativos.
Montagem de cartazes e convites.
Confecção de enfeites juninos.
Conscientização do perigo de soltar balões.
Colagem de gravuras relacionadas com o tema.
Pintura de gravuras relacionadas com o tema.
Brincadeiras envolvendo a expressão corporal relacionada com o tema.

RECURSOS DIDÁTICOS:
Cartazes;
Papel manilha;
Sulfite;
Cola;
Tinta guache;
Lápis de cor;
EVA,
TNT;
Tesoura;
Pincel;
Crepom;
CDs;
Aparelho de som;
Televisão;
Fantasias;

METODOLOGIA:
As atividades serão desenvolvidas de forma coletiva e individual com os alunos envolvendo a interação professor com os mesmos durante as atividades propostas.

CULMINÂNCIA:
O projeto será finalizado com a realização de danças em sala relacionada com o tema e pipoca para os alunos.

AVALIAÇÃO:
A avaliação será através de registro em relação a aprendizagem individual e coletiva dos alunos frente as atividades propostas durante o desenvolvimento do projeto.

ORIGEM DA FESTA JUNINA
De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por Portugal).
Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.
Todos estes elementos culturais foram, com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros (indígenas, afro-brasileiros e imigrantes europeus) nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.
Festas Juninas no Nordeste Embora sejam comemoradas nos quatro cantos do Brasil, na região Nordeste as festas ganham uma grande expressão. O mês de junho é o momento de se fazer homenagens aos três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. Como é uma região onde a seca é um problema grave, os nordestinos aproveitam as festividades para agradecer as chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura.
Além de alegrar o povo da região, as festas representam um importante momento econômico, pois muitos turistas visitam cidades nordestinas para acompanhar os festejos. Hotéis, comércios e clubes aumentam os lucros e geram empregos nestas cidades. Embora a maioria dos visitantes seja de brasileiros, é cada vez mais comum encontrarmos turistas europeus, asiáticos e norte-americanos que chegam ao Brasil para acompanhar de perto estas festas.
Comidas típicas Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados, relacionados às festividades, são feitos deste alimento. Pamonha, cural, milho cozido, canjica, cuzcuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos. Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio desta época: arroz doce, bolo de amendoim, bolo de pinhão, bombocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque, quentão, vinho quente, batata doce e muito mais.
Tradições As tradições fazem parte das comemorações. O mês de junho é marcado pelas fogueiras, que servem como centro para a famosa dança de quadrilhas. Os balões também compõem este cenário, embora cada vez mais raros em função das leis que proíbem esta prática, em função dos riscos de incêndio que representam.
No Nordeste, ainda é muito comum a formação dos grupos festeiros. Estes grupos ficam andando e cantando pelas ruas das cidades. Vão passando pelas casas, onde os moradores deixam nas janelas e portas uma grande quantidade de comidas e bebidas para serem degustadas pelos festeiros.
Já na região Sudeste são tradicionais a realização de quermesses. Estas festas populares são realizadas por igrejas, colégios, sindicatos e empresas. Possuem barraquinhas com comidas típicas e jogos para animar os visitantes. A dança da quadrilha, geralmente ocorre durante toda a quermesse.
Como Santo Antônio é considerado o santo casamenteiro, são comuns as simpatias para mulheres solteiras que querem se casar. No dia 13 de junho, as igrejas católicas distribuem o “pãozinho de Santo Antônio”. Diz a tradição que o pão bento deve ser colocado junto aos outros mantimentos da casa, para que nunca ocorra a falta. As mulheres que querem se casar, diz a tradição, devem comer deste pão.

CAPELINHA DE MELÃOautor: João de Barros e Adalberto Ribeiro
Capelinha de melãoé de São João.É de cravo, é de rosa, é de manjericão.São João está dormindo,não me ouve não.Acordai, acordai, acordai, João.Atirei rosas pelo caminho.A ventania veio e levou.Tu me fizeste com seus espinhos uma coroa de flor.
__________________________________________
PEDRO, ANTÔNIO E JOÃ
Oautor: Benedito Lacerda e Oswaldo Santiago
Com a filha de JoãoAntônio ia se casar,mas Pedro fugiu com a noivana hora de ir pro altar.A fogueira está queimando,o balão está subindo,Antônio estava chorandoe Pedro estava fugindo.E no fim dessa história,ao apagar-se a fogueira,João consolava Antônio,que caiu na bebedeira.
__________________________________________
BALÃOZINHO
Venha cá, meu balãozinho.Diga aonde você vai.Vou subindo, vou pra longe, vou pra casa dos meus pais.Ah, ah, ah, mas que bobagem.Nunca vi balão ter pai.Fique quieto neste canto, e daí você não sai.Toda mata pega fogo.Passarinhos vão morrer.Se cair em nossas matas, o que pode acontecer.Já estou arrependido.Quanto mal faz um balão.Ficarei bem quietinho, amarrado num cordão.
__________________________________________
SONHO DE PAPELautor: Carlos Braga e Alberto Ribeiro
O balão vai subindo, vem caindo a garoa.O céu é tão lindo e a noite é tão boa.São João, São João!Acende a fogueira no meu coração.Sonho de papel a girar na escuridãosoltei em seu louvor no sonho multicor.Oh! Meu São João.Meu balão azul foi subindo devagarO vento que soprou meu sonho carregou.Nem vai mais voltar.
__________________________________________

PULA A FOGUEIRAautor: João B. Filho
Pula a fogueira Iaiá, pula a fogueira Ioiô.Cuidado para não se queimar.Olha que a fogueira já queimou o meu amor.Nesta noite de festançatodos caem na dançaalegrando o coração.Foguetes, cantos e troca na cidade e na roçaem louvor a São João.Nesta noite de folguedotodos brincam sem medoa soltar seu pistolão.Morena flor do sertão, quero saber se tu ésdona do meu coração.
__________________________________________
CAI, CAI, BALÃOCai, cai, balão.Cai, cai, balão.Aqui na minha mão.Não vou lá, não vou lá, não vou lá.Tenho medo de apanhar.

Ingredientes:
1 xícara de arroz lavado e escorrido 4 xícaras de leite 1 xícara de açúcar 2 colheres de sopa de água de rosas ou flor de laranjeira 1 colher de sopa de canela em pó Modo de Preparo: Numa panela, coloque o arroz e o leite, misture, leve ao fogo alto e deixe ferver. Reduza o fogo para brando e cozinhe, mexendo sempre com uma colher de pau para a mistura não grudar no fundo da panela, por cerca de 50 minutos ou até o arroz ficar macio. Acrescente o açúcar e a água de rosas ou flor de laranjeira, misture bem e tire do fogo. Coloque o arroz-doce numa travessa, polvilhe com canela e sirva.
**************************************************
Bolinho de mandioca com queijo e ervas
Ingredientes:
1 kg de mandioca descascada e picada3 xícaras (chá) de leite 1 colher (sopa) de manteiga 2 ovos 1 colher (sobremesa) de fermento em pó 1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo 200 g de mussarela moída2 colheres (sopa) de sálvia picada2 colheres (sopa) de tomilho fresco picadoóleo para friturasal Modo de Preparo: Coloque em uma panela a mandioca e o leite e cozinhe, em fogo baixo, por 35 minutos, ou até o leite evaporar e a mandioca se desfazer. Retire, passe a mandioca, ainda quente, no espremedor e transfira a massa obtida para uma tigela. Misture a manteiga, os ovos, o fermento e o sal. Reserve. À parte, peneire a farinha de trigo e, aos poucos, acrescente a massa de mandioca mexendo sempre com uma colher. Se necessário, junte mais farinha de trigo. A massa deve ficar unida e desprender das mãos. Reserve. Em uma tigela, misture a mussarela, a sálvia e o tomilho e reserve. Para fazer os bolinhos, estenda um pouco de massa na palma da mão enfarinhada, coloque um pouco da mistura de mussarela e enrole sem deixar aberturas ou dobras. Frite os bolinhos em uma panela com óleo bem quente até dourarem. Retire e coloque-os sobre papel toalha para eliminar o excesso de gordura. Sirva os bolinhos com salada verde. Se preferir, salpique mussarela ralada no momento de servir.

******************************************************************

Bolo de batata-doce e coco
Ingredientes:
1 xícara (chá) de açúcar 1 tablete de manteiga (200 g)1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo 3 ovos 1 colher (sopa) de fermento em pó 2 vidros pequenos de leite de coco 2 vidros pequenos de leite de coco (400 g)2 colheres (sopa) de raspas de limão 370 g de batata-doce roxa cozida e amassada1 xícara (chá) de coco em flocos Modo de Preparo: Bata na batedeira a manteiga (reserve 1 colher de sopa), o açúcar e as raspas de limão por 3 minutos, ou até obter um creme homogêneo. Sem parar de bater, junte as gemas uma a uma. Adicione a batata-doce, a farinha de trigo, o coco e o leite de coco e bata mais um pouco. Por fim, incorpore as claras batidas em neve e o fermento em pó, misturando delicadamente.
Com a manteiga reservada, unte uma fôrma redonda, de 25 cm de diâmetro, e polvilhe com farinha de trigo. Despeje a massa e leve para assar em forno médio, preaquecido, por 45 minutos, ou até que enfiando um palito, ele saia limpo. Se preferir, salpique coco na superfície para decorar.
*******************************************************
BOLO DE MILHO
Ingredientes
1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de milho pré-cozida1/2 xícara (chá) de farinha de mandioca 10 colheres (sopa) de açúcar 2 xícaras (chá) de leite desnatado 5 colheres (sopa) de manteiga 1/2 xícara (chá) de coco fresco ralado Modo de Preparo: Coloque no processador as farinhas de milho e a de mandioca e o açúcar. Bata por 2 minutos, ou até obter uma farinha mais fina. Retire e passe a mistura por uma peneira. Reserve. Coloque o leite, a manteiga e o coco em uma panela. Leve ao fogo por 3 minutos, ou até ferver. Retire do fogo e despeje, aos poucos, e sem parar de mexer, sobre os ingredientes secos peneirados. Mexa vigorosamente até ficar homogêneo. Forre com um pedaço de pano fino, de preferência musseline, a parte de cima de uma cuscuzeira, com 20 cm de diâmetro. Coloque a massa e reserve. Coloque 500 ml de água na parte de baixo da cuscuzeira e leve ao fgo por 3 minutos, pu até ferver. Encaixe a cuscuzeira, tampe a panela e reduza o fogo. Cozinhe em fogo baixo por 50 minutos, ou até a massa ficar macia. Retire do fogo e desenforme com cuidado. Se preferir, polvilhe com canela em pó ou sementes de erva-doce. Sirva com mel ou melado. (Fonte: Revista Água na Boca)
****************************************************
Canjica com coco
Ingredientes:
1 xícara de canjica 1 xícara de leite de coco 3 xícaras de leite 1 xícara de açúcar 1 canela em pau Modo de Preparo: Coloque a canjica de molho em água fria por 8 horas. Escorra e coloque em uma panela juntamente com o leite e metade do açúcar. Adicione o pau de canela e leve à fervura em fogo baixo para que os grãos fiquem macios. Teste e se estiver no ponto adicione à panela o açúcar restante e o leite de coco. Ferva novamente para encorpar o líquido. Sirva quente salpicando com canela em pó.


MAÇÃ DO AMOR
Ingredientes:
8 maçãs firmes4 xícaras de açúcar 1 xícara de água 2 colheres (sopa) de glucose de milho 1 colher (sopa) de corante vermelho para alimentospalitos para sorvete Modo de Preparo: Lave e seque muito bem as maçãs. Espete os palitos na parte superior das maçãs, ao lado do talinho. Unte uma pedra de mármore ou granito com óleo vegetal. Prepare a calda misturando bem o açúcar, água e glucose. Coloque em uma panela funda e pequena (pode ser em uma leiteira), tampe e levar ao fogo, fervendo tampada por 3 minutos. Retire a tampa e ferva por aproximadamente 10 minutos ou até atingir a temperatura de 130 graus (ou ponto de vidro, pode-se testar colocando algumas gotas da calda em um copo com água gelada). Retire do fogo e acrescente o corante e balance levemente a panela para colorir todo a calda. Coloque a panela com a calda em banho-maria e mergulhe as maçãs, uma a uma segurando-as pelos palitos. Levante e deixe escorrer o excesso, coloque para esfriar sobre uma pia de mármore untada. Deixe esfriar completamente.


PÉ-DE-MOLEQUE
Ingredientes:
2 xícaras (chá) de açúcar 1/2 kg de amendoim cru1 lata de leite condensado 1 colher (café) de bicarbonato de sódio margarina para untar Modo de Preparo: Numa panela, coloque o açúcar, 2 colheres (sopa) de água e o amendoim. Leve ao fogo, mexendo de vez em quando, por 15 minutos, ou até ficar com cor de caramelo claro. Junte o leite condensado e o bicarbonato, mexendo sempre, por 5 minutos. Retire do fogo e continue mexendo por mais 5 minutos, ou até a mistura ficar opaca. Despeje a mistura numa superfície lisa, untada com a margarina e deixe amornar. Corte em quadrados e sirva.

*******************************************************
Ingredientes:
10 espigas médias de milho verde 1 e 1/2 xícara (chá) de açúcar 1 e 1/2 xícara (chá) de manteiga 1/2 xícara (chá) de leite desnatado 1 colher (chá) de canela em pó 1 pitada de sal Modo de Preparo: Ligue o forno à temperatura média. Limpe as espigas de milho, rale num ralador não muito fino (com cuidado para não atingir o sabugo), aparando numa tigela. Com uma colher, raspe os sabugos e misture com o milho ralado. Passe por uma peneira não muito fina, aparando em outra tigela. Junte o açúcar e mexa até derreter. Reserve. Leve ao fogo uma panela com a manteiga (reserve 1 colher de sopa), o leite, a canela e o sal até ferver. Retire do fogo, despeje sobre a massa de milho e mexa muito bem até ficar homogêneo (a manteiga não deve ficar separada da massa). Unte uma assadeira de 23 cm x 33 cm com a manteiga e despeje a massa. Leve ao forno por 40 minutos, ou até que enfiando um palito na pamonha ele saia limpo. Retire do forno e, assim que amornar, corte em pedaços. Fonte: Revista Menu


PIPOCA
Ingredientes:
4 colheres (sopa) de óleo vegetal1 xícara de milho para pipoca½ colher (chá) de glutamato monossódicosal Modo de Preparo: Coloque o óleo em uma panela e leve ao fogo para aquecer bem. Acrescente o milho e misture. Salpique com o glutamato e tampe a panela. Assim que o milho começar a estourar comece a balançar a panela sobre a chama para que as pipocas não queimem. Espere que todas estourem. Coloque em uma tigela e salpique com sal.


DOCE DE ABÓBORA
Ingredientes:
1 kg de abóbora descascada1 colher (sopa) de cal virgem para uso culinário4 xícaras de açúcar 2 xícaras de água 12 cravos-da-índia 1 canela em pau Modo de Preparo: Corte a abóbora em cubos de 3 cm. Desmanche a cal em 2 litros de água fria e despeje sobre as abóboras. Deixe descansar por 2 horas. Escorra e elimine a água. Lave os pedaços de abóbora em água corrente por 2 ou três vezes. Coloque o açúcar e a água em uma panela e leve à fervura, adicione os cravos e a canela. Fure de leve os pedaços de abóbora para que absorvam a calda e coloque-os na panela. Ferva em fogo baixo para que os pedaços de abóbora fiquem firmes porém macios. Retire-os com uma escumadeira e coloque em uma compoteira. Reduza a calda até o ponto de fio e despeje sobre as abóboras. Deixe esfriar antes de servir.

COCADA
Ingredientes:
250 g de açúcar refinado 250 g de coco fresco ralado100 g de leite condensado Modo de Preparo: Numa panela, leve ao fogo 200 g de açúcar, junte 60 ml de água e deixe até caramelizar levemente (dependendo da intensidade de cor que deseja dar ao doce). Adicione o coco, o açúcar restante e o leite condensado, misturando sempre com uma colher de pau até que a calda se torne espessa e em ponto de fio. Transfira para uma compoteira e decore com cravo-da-índia. Se preferir uma versão mais firme, deixe a calda encorpar mais, despeje a mistura sobre uma superfície untada com manteiga e espere resfriar para cortar.

Projeto didático Festa Junina


-->


TURMA:  Maternal II                                        TURNO:         
TEMA:  FESTA JUNINA
DURAÇÃO DO PROJETO: Início:                    Término:  
JUSTIFICATIVA:
Este projeto didático visa destacar para os alunos o conceito de Festa Junina e sua origem, os santos comemorados em junho, em todo o Brasil, desde o período colonial: Santo Antônio, São João e São Pedro. Destacar ainda que no nordeste brasileiro principalmente, estes santos são reverenciados e pode-se dizer que a importância destas festas, para as populações nortista e nordestina, ultrapassa a do Natal, principal festa cristã, e que elas são, historicamente, o evento festivo mais importante destas regiões, tanto cultural como politicamente. Explicar para os mesmos que as  festas juninas gira em torno de três datas principais: 13 de junho, festa de Santo Antônio; 24 de junho, São João e 29 de junho, São Pedro e, que durante este período, o país fica praticamente tomado por festas. De norte a sul do Brasil comemoram-se os santos juninos, com fogueiras e comidas típicas. Explicar para os alunos que é interessante notar que não apenas o dia, propriamente dito, mas todo o mês, é considerado como tempo consagrado a estes santos na região e, principalmente, as vésperas , que é quando se realizam os sortilégios e simpatias, a parte mágica da festa típica do catolicismo popular. Inúmeras adivinhações a respeito dos amores e do futuro (com quem se vai casar, se se é amado ou amada, quantos filhos se vai ter, se  vai morrer jovem ou ganhar dinheiro etc.) são feitas nas vésperas do dia dos santos, em geral de madrugada.
OBJETIVOS:
Levar os alunos à:
- conhecer as características das festas juninas em diferentes regiões do país;
 - valorizar e demonstrar atitudes de respeito ao trabalho e ao homem do campo;
- desenvolver o interesse e gosto pela tradição;
- planejar a realização de uma Festa Junina;
- resgatar a memória das Festas Juninas;
- enriquecer o conhecimento dos alunos quanto à história das Festas Juninas;
- distinguir a diferença dos costumes das Festas Juninas no Brasil e no mundo;
- sociabilizar os alunos;
- desenvolver o ritmo, compasso e criatividade;
- conhecer a história dos santos padroeiros: Santo Antonio, São João e São Pedro.
ORNAMENTAÇÃO DA SALA:

 Mural com bandeirinhas e balões, chapéus de palha, etc.
CONTEÚDOS:

 As festas juninas: características, roupas típicas, danças, alimentos.
DESENVOLVIMENTO:
Montagem de painés juninos para enfeitar a sala de aula.
Leitura de textos informativos.
Leitura de poesias e/ou músicas juninas.
Leituras de textos criativos.
Montagem de cartazes e convites.
Confecção de enfeites juninos.
Conscientização do perigo de soltar balões.
Colagem de gravuras relacionadas com o tema.
Pintura de gravuras relacionadas com o tema.
Brincadeiras envolvendo a expressão corporal relacionada com o tema.
RECURSOS DIDÁTICOS:
 Cartazes;
Papel manilha;
Sulfite;
Cola;
Tinta guache;
Lápis de cor;
EVA,
TNT;
Tesoura;
Pincel;
Crepom;
CDs;
Aparelho de som;
Televisão;
Fantasias;
METODOLOGIA:
As atividades serão desenvolvidas de forma coletiva e individual com os alunos envolvendo a interação professor com os mesmos durante as atividades propostas. 
CULMINÂNCIA:
O projeto será finalizado com a realização de danças em sala relacionada com o tema e pipoca para os alunos.
AVALIAÇÃO:
A avaliação será através de registro em relação a aprendizagem individual e coletiva dos alunos frente as atividades propostas durante o desenvolvimento do projeto.

domingo, 1 de junho de 2014

+ Projeto didático Meio Ambiente



PROJETO DIDÁTICO
 “MEIO AMBIENTE”



INSTITUIÇÃO:

MUNICÍPIO:
ANO
 TURMA
PROFª:
INÍCIO                             TÉRMINO:
DIREÇÃO:
COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA:
 ÁREAS DE CONHECIMENTO: Linguagem Oral/escrita, Artes Plásticas, Natureza/Sociedade, Movimento, Identidade/Autonomia  

CONTEÚDOS: Meio Ambiente ( água, plantas, animais domésticos/selvagens e lixo), coordenação motora fina/grossa, cores, grande/pequeno, em cima/embaixo, equilíbrio corporal,   

JUSTIFICATIVA

A questão ambiental está em alta por uma razão simples: necessidade de sobrevivência. Quanto mais cedo o tema for abordado com os estudantes, maiores as chances de despertar a consciência pela preservação. Por isso, a educação para uma vida sustentável deve começar já na educação infantil. O objetivo definido pelo Referencial Curricular Nacional é observar e explorar o meio ambiente com curiosidade, percebendo-se como ser integrante, dependente, transformador e, acima de tudo, que tem atitudes de conservação (http://revistaescola.abril.com.br/educacao-infantil/4-a-6-anos/preservar-tambem-coisa-crianca-422841.shtml).

“[...] à educação ambiental caberia, principalmente, promover a mudança de comportamento do sujeito em sua relação cotidiana e individualizada com o meio ambiente e os recursos naturais, objetivando a formação de hábitos ambientalmente responsáveis no meio social.” (QUINTAS, José Silva, p.41,2001)

Portanto, cabe a escola conscientizar os pequenos, para que as crianças de hoje percebam-se parte do ambiente, zelando-o e sejam os conscientes adultos de amanhã.

OBJETIVO GERAL

Este projeto tem como objetivo conscientizar as crianças da importância de cuidarmos do meio ambiente, apresentando a natureza com suas belezas, curiosidades e fragilidades por meio de diversos recursos didáticos, mostrando os lados negativos e positivos da ação do homem.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Criar diversas estratégias de ensino que possibilitem os estudantes à:
- entender o que é o meio ambiente;
- incentivar o cuidado ao ambiente em que vivemos;
-explorar a imaginação e a criatividade;
-desenvolver a motricidade ampla e fina;
-proporcionar novas vivências e a construção de novos conhecimentos;
-desenvolver a criatividade;
-desenvolver a socialização;
-reconhecer o solo como lugar onde plantamos, andamos, construímos, etc;
-valorizar a água e o ar como fatores de sobrevivência para o mundo, pois, sem eles não poderia existir vida na terra;
-perceber a ligação do homem com a natureza;
-compreender o ciclo da vida, analisando as fases de crescimento de uma planta;
-conscientizar os estudantes para não desperdiçar água, porque um dia pode faltar;
-identificar alguns animais domésticos/ selvagens e suas principais características;
-relacionar as cinco cores básicas aos lixos correspondentes. (Verde= vidro, Amarelo=metal; Azul= papel; Vermelho= plástico; Marrom= orgânico);
-sensibilizar os estudantes a auxiliarem no cuidado com a escola, não jogando lixo no chão;
-incentivar a prática de atitudes conscientes quanto à limpeza da sala de aula.

DESENVOLVIMENTO

No primeiro momento será levantado o conhecimento inicial da turma referente ao tema tratado.
Será feito um passeio com os estudantes ao redor da instituição para que eles entrem em contato com a natureza do local.
Será abordado com os estudantes sobre as plantas e suas fases de crescimento e o que é necessário para que elas se desenvolvam.
Todas as observações dos estudantes serão anotadas. Os mesmos realizarão ilustrações do tema por meio de desenhos livres, massinha de modelar, maquete e cartazes.
Sobre a água será conversado sobre sua importância dela para haver vida na Terra. Sem água não existe plantação, o homem e os animais. Será explicado para os mesmos, que na Terra, a água é encontrada em vários lugares: no mar, nos rios, nas lagoas, nas fontes, etc...Comentar que as pessoas usam a água para beber, cozinhar lavar roupa, pratos, regar plantas, etc... A água que bebemos é limpa, sem cor, de temperatura agradável e que devemos beber apenas água filtrada ou mineral.
Faremos desenhos, cartazes, pinturas que retratem a importância da água.
Serão contadas diversas historinhas infantis que abordam sobre o “Meio Ambiente”.
Algumas atividades serão desenvolvidas de forma coletiva e outras individuais com a interação professor estudante-estudante.
Serão contadas diversas historinhas, poesias, cantigas e versos infantis que retratam o meio ambiente.
Na culminância desse projeto, os estudantes plantarão algumas hortaliças em recipientes na instituição. Ainda, serão desenvolvidas diversas atividades relacionadas com o tema em destaque tais como, pintura com tinta, giz de cera, recorte e colagem, cantigas e brincadeiras.

RECURSOS DIDÁTICOS:

·         Giz de cera
·         Tinta guache tesoura cola
·         Lápis de cor
·         Papeis diferenciados
·         Pincel
·         Brinquedos
·         Musica CD
·         Fotos imagens
·         Revista
·         Folhas de árvore
-     Papel manilha
-     Tnt
·         Palito de churrasco
·         Livros de história
·         Folhas de árvore
·         Retalho de e.v.a
·         Lápis preto, borracha, apontador;
·         Folha de A4
·         Xerox
·         Caixa de papelão
-     rolo de papel higiênico


CULMINÂNCIA

A culminância do projeto será uma exposição no saguão desta instituição de ensino dos trabalhos realizados durante o desenvolvimento desse projeto para as demais turmas visualizarem.

AVALIAÇÃO
A avaliação será por meio de registro do desenvolvimento da aprendizagem,  da participação e do interesse dos estudantes durante as atividades propostas no decorrer deste projeto.

CANAL PEDAGÓGICO

Comente:

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também