Seguidores

Pesquisar este blog

PARA SALVAR AS IMAGENS, CLIQUE NAS IMAGENS PARA VISUALIZAR MELHOR.

1. Escolha a imagem;
2. Clique no botão direito do mouse;
3. Escolha a opção “Salvar Imagem Como ...”
4. Escolha o local a ser salvo a imagem;
5. Clique em salvar e pronto.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

calendários para os alunos mês de fevereiro

Dinâmica para receber os alunos "Educação Infantil"

Objetivo:

- Demonstrar alegria, carinho, afeto por estar recebendo os alunos.

Como proceder:

- Utilizar uma caixa de sapato forrada de papel, com a tampa removível, embalada por um laçõ bem largo e bonito. Dentro dessa caixa deverá ter um espelho colado no fundo.
- Ela será entregue na porta da sala de aula, ao professor, que deverá recebê-la com grande alegria.
- Depois de abrir a caixa e olhar o presente, o professor, sorridente, comenta com seus alunos:
"Criança, hoje é um dia especial para mim! Recebi um lindo presente! É um presente vivo, que vai me alegrar muito, durante este ano. Ele é muito importante, pois juntos vamos crescer e aprender muitas coisas. Vocês não podem imaginar a felicidade que sinto em recebê-lo. O que vocês acham que tem aqui nesta caixa?"
- Os alunos ficam curiosos, imaginando o que possa estar na caixa.
- O professor coloca a caixa no canto da sala, e convida cada aluno para ir olhar o presente. Pede que não comentem um com o outro sobre o que viu.
- A medida que eles abrem a tampa e olham para dentro da caixa, eles se vêem refletidos no espelho e cada um tem uma reação diferente.
- Depois que todos olharem a caixa o professor fará um comentário a respeito da alegria em que está ao receber seus alunos durante o ano. Falará que realmente eles são o presente que a escola está dando a ele naquele dia.
- Colher da classe opiniões sobre a sensação que cada um teve ao se ver refletido no espelho.

( sugestões da coleção "A maneira lúdica de ensinar", 2000).

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Meios de Comunicação


MEIOS DE COMUNICAÇÕES

Os meios de comunicação são instrumentos que nos auxiliam a receber ou transmitir informação. Dessa maneira, eles nos ajudam a nos comunicar um com o outro. Por exemplo: nosso tio mora em outra cidade, mas graças ao telefone conseguimos conversar com ele.

Existem diversos meios de comunicação como, por exemplo, o telefone, a televisão, o rádio e o jornal. A Internet também nos possibilita comunicar-nos através de vários meios, como o chat, o blog e o fotolog.

É graças ao avanço da tecnologia que cada vez mais os meios de comunicação permitem que nos comuniquemos com pessoas em maiores distâncias no menor espaço de tempo.

Cada meio permite que nos comuniquemos de uma maneira diferente com o outro. Por exemplo: a televisão permite que muitas pessoas vejam a mesma notícia, mas é através do telefone que conseguimos transmitir a notícia que escutamos para as outras pessoas.

Telefone


O
telefone é um meio de comunicação que transmite som. Apesar de ser usado por praticamente o mundo inteiro, o telefone é um meio que permite que poucas pessoas se comuniquem ao mesmo tempo, o mais comum é que duas pessoas falem ao telefone.

Ele foi inventado próximo ao ano de 1860 por Antonio Meucci.

Enquanto os telefones transmitem sons por meio de sinais elétricos, o
celular transmite som por meios de ondas eletromagnéticas. É por isso que o celular "pega" em mais lugares, do que, por exemplo, o telefone sem fio.


televisão

A televisão é um meio de comunicação que transmite som e imagem. Ela consegue comunicar uma notícia a várias pessoas, ou seja, é um meio de grande abrangência.

Com certeza, você já deve ter escutado: "Não acredito que você perdeu aquele programa! Todo mundo assistiu!". A programação da TV, é bastante diversificada e procura atingir o maior número de públicos.

O primeiro programa da tv brasileira, aconteceu no dia 18 de Setembro de 1950, e foi transmitido pela Rede Tupi.

Rádio



Um novo brinquedo - foi o que muitos pensaram quando viram pela primeira vez aquela caixinha misteriosa que falava: o rádio. Embora inventado em 1896, foi somente depois da Primeira Guerra Mundial que o rádio se popularizou. Atualmente, o rádio é um dos meios de comunicação mais utilizados, porque é um instrumento de baixo custo e pequeno porte.

O rádio é um aparelho que transmite
som e que apresenta uma programação diversificada o que aumenta ainda mais o número de pessoas que escutam rádio.

No Brasil, o rádio é muito importante porque, em certas regiões do país, é o único veículo de comunicação que consegue chegar, informando e divertindo a população.

Jornal



Os jornais ganharam força a partir da invenção da prensa móvel de Gutenberg. Eles são um meio de comunicação
impresso e, apesar de longos anos de existência, continuam sendo uma das principais fontes de informação da sociedade atual. Ele geralmente é diário e aborda uma diversidade de temas como economia, esporte, política e cultura. Os jornais conseguem atingir um grande número de pessoas.

O primeiro jornal 100% brasileiro foi o Jornal do Rio de Janeiro, publicado em 1808.


Revistas


Assim como o jornal, a revista também é um
meio impresso, só que enquanto o jornal possui matérias diversificadas para várias tipos de públicos, a revista geralmente possui sempre um tema central que atrai pessoas interessadas naquele assunto. Por exemplo: existem revistas de educação para pais e professes; revistas de moda, muito comprada por estilistas e profissionais da área. A revista não é publicada todo dia, a maioria das revistas são semanais e quinzenais.

A primeira revista de vida regular no Brasil foi publicada em 1860 e se chamava Revista Ilustrada


Internet



A
Internet é uma rede de redes em escala mundial de milhões de computadores que permite o acesso à informações de todo tipo e transferência de dados. A Internet é um meio de comunicação hipermídia, ou seja, que aplica a multimídia (diversos meios simultaneamente, como escrita e audiovisual) em conjunto com a hipertextualidade (caminhos não-lineares de leitura do texto).

A Internet permite que possamos nos comunicar de diversas maneiras, através de
textos, vídeos e imagens com pessoas do mundo inteiro em tempo real. As notícias e informações podem ser colocadas a qualquer momento na Internet, permitindo que milhões de pessoas tenham acesso a elas.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Projeto didático "Alfabetização Construtivista"



INSTITUIÇÃO:

MUNICÍPIO:
ANO:
TURMAS: 1º ao 5º Ano do Ensino Fundamental
TURNO:
DURAÇÃO DO PROJETO: O ano todo.
PROFESSORA:

DISCIPLINA: Língua Portuguesa
CONTEÚDO: Sistema de escrita e linguagem escrita ( texto instrucional).

JUSTIFICATIVA:

Alfabetizar significa muito mais que simplesmente ensinar a traçar letras ou decodificar palavras. Este projeto didático propõe através de atividades construtivistas que a criança possa se apropriar do sistema de escrita, ao mesmo tempo em que vai conhecendo a linguagem escrita, ou seja, os diversos tipos de textos presentes na sociedade.
Este trabalho propõe uma articulação entre as duas aprendizagens que a criança em início de alfabetização precisa empreender: o conhecimento do sistema de escrita alfabético e a linguagem escrita expressa em vários textos presentes na sociedade. Assim, todas as crianças deverão estar envolvidas em todos os momentos do trabalho, mesmo aquelas que ainda não escrevem convencionalmente. Neste caso, o professor deve ser intérprete e, às vezes, escriba da produção do aluno. A atividade proposta trabalha com três tipos de textos, a saber:

OBJETIVO GERAL:

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

Com este trabalho, pretende-se que os alunos sejam capazes de:

a) Falar e ouvir em diversas situações nas quais faz sentido expor opiniões, ouvir com atenção, sintetizar idéias, defender pontos de vista e replicar;

b) Perceber as propriedades da escrita: letras como representação de fonemas, direção da escrita, combinação das letras, formas e tipos de letras;

c) Ler e escrever diversos tipos de textos em situações comunicativas específicas;

d) Valorizar o resgate das brincadeiras, comparando-as no espaço e no tempo

RECURSOS DIDÁTICOS:

Cartolina, papel sulfite, lápis de cor/cera e canetas coloridas.

METODOLOGIA:

As atividades serão desenvolvidas de forma individual e coletiva com a interação professor e aluno em sala de aula.

AVALIAÇÃO:

Ao longo do desenvolvimento da atividade, é possível avaliar como o aluno:
utilizou a linguagem (oral e escrita) em determinadas situações nas quais faz sentido falar, ouvir, ler ou escrever; discutiu oralmente; trabalhou os aspectos gráficos e os elementos lingüísticos dos textos trabalhados: lista, texto de instruções e cartaz. elaborou sínteses escritas para divulgação do trabalhos através de cartazes; relacionou suas hipóteses de escrita com as propriedades da escrita convencional, quando foi necessário ajustar o que fala ou ouve com o que precisa escrever.


♥Aprofundamento do conteúdo


LISTA - texto com palavras do mesmo campo semântico com uma disposição gráfica vertical ou horizontal. Texto que procura organizar informações e que exercita a memória. Ao lado deste conhecimento textual, pode-se contribuir para que a criança vá conhecendo as características do sistema de escrita, se forem sendo estabelecidas comparações no que se refere ao conhecimento/uso de letras como representação de fonemas, a direção da escrita, a distribuição das unidades gráficas das palavras (quais e quantas letras em cada vocábulo; quais iniciam com a mesma letra, quais têm a última letra igual, etc), as formas e tipos de letras;

TEXTO INSTRUCIONAL - que prescreve ações/orientações precisas para a realização de tarefas, no caso, as regras de brincadeiras infantis: nome da brincadeira, lista de quantas pessoas e/ou materiais usados (se for o caso), modo de brincar (com uso de verbos no imperativo que é o modo da ordem ou pedido);

CARTAZ - possibilita registrar e divulgar as sínteses feitas pelos alunos no decorrer do trabalho. O cartaz é um tipo de texto breve sobre cartolina ou cartões cuja organização espacial no papel (diagramação, cores, tamanho de letras) deve permitir a leitura à distância.

Música e aprendizagem: uma experiência harmônica na sala de aula



Denise Badim Teixeira, coordenadora de Educação Infantil e Ensino Fundamental na rede pública municipal de Vitória da Conquista, Bahia, é formada em Pedagogia, com especialização em Psicopedagogia, e habilitada em Gestão Escolar. Completamente apaixonada por Educação, realiza-se na construção do conhecimento de seus alunos e na aplicação de projetos que despertem o interesse deles. Entende que o lúdico é fundamental para estimular a aprendizagem e, por isso, relaciona, entre outras coisas, a música como suporte. O projeto Música e aprendizagem: uma experiência harmônica na sala de aula apresenta diversas atividades, algumas foram selecionadas para a socialização com outros professores.
Por que Música?
O desenvolvimento intelectual da criança não ocorre por si mesmo, mas é fruto da atividade do homem a partir da relação com o meio. Através de atividades musicais, promove-se a socialização e as trocas de aprendizagem. O aluno aprende mais em matéria de leitura quando ele é mais ativo em todos os seus estilos de atuação em diferentes linguagens, com variados objetivos. A prática educativa associada à linguagem musical apresenta maior significação para o desenvolvimento da cognição e a interação entre as crianças.
A música, especificamente, estimula o aprendizado e tem o poder de despertar a criatividade e a atividade infantil. Ela auxilia a criança no desenvolvimento de suas potencialidades, ajudando-a a usar o próprio corpo como meio de comunicação e expressão. A partir dela, podem-se alcançar diversos objetivos como: a melhoria da linguagem, da coordenação, da percepção auditiva, rítmica, das orientações temporal e espacial, do equilíbrio e, principalmente, da comunicação. O ritmo das canções induz as crianças ao movimento, à maior atividade cerebral, além de despertar nelas o gosto de cantar, dançar e melhorar ou acelerar o seu desenvolvimento educacional.
Nesse sentido, o projeto Música e aprendizagem: uma experiência harmônica na sala de aula vem destacar a importância de se trabalhar a música em sala de aula enquanto modalidade textual, objetivando, ainda, promover momentos de descontração através de vivências com a música e socialização de sugestões de atividades para se trabalhar a mesma, tendo em vista sua extrema importância e significância para o desenvolvimento normal e sadio da criança.
A música deve ser explorada de todas as formas, por inteiro, desde a sonoridade até a letra. Isso facilita o processo de educar a criança, pois desenvolve o seu senso crítico, e ela passa a ter uma visão inteira, completa, da realidade. A música traduz muita coisa, ela é carregada de emoção, e não de razão. O homem só chega aonde os sentimentos o levarem (Airton, p. 46, 2003).
Alguns objetivos
  • Cantar apreciando a sonoridade e a melodia.
  • Auxiliar os desenvolvimentos corporal e harmônico.
  • Estimular o raciocínio e a atenção em relação ao texto.
  • Reescrever textos utilizando a música como mediadora.
  • Vivenciar momentos de descontração, alegria e aprendizado.
  • Analisar criticamente letras de músicas diversas.
  • Redescobrir o gosto por diferentes estilos musicais.
  • Ampliar o vocabulário.
  • Despertar a criatividade.
  • Integrar músicas, de forma interdisciplinar, aos conteúdos trabalhados.
  • Reconhecer a música como um texto possível de ser lido e interpretado.
Recursos
  • Fichas pautadas tamanho pequeno (quantidade de alunos da turma)
  • 01 aparelho de som
  • 01 televisão
  • 01 videocassete/DVD
  • Multimídias (CD)
  • Xerox das músicas e dos textos que serão trabalhados
  • Caderno
  • Hidrocores e canetas
Como Avaliar?
Através da participação dos alunos durante o desenvolvimento de cada atividade.
COMPARTILHANDO ALGUMAS ATIVIDADES
Primeira atividade
O que eu gosto de ouvir...
  • Distribuir uma ficha pautada para cada participante.
  • Solicitar que cada um escreva o próprio nome no centro da ficha, o estilo de música de que mais gosta no lado direito superior, um cantor ou cantora de sua preferência no mesmo lado inferior, uma música de que gosta no lado esquerdo superior e um grupo ou dupla de que gosta no lado esquerdo inferior.
  • Socialização das respostas de cada um.
  • Sugestão: Recolher as fichas, que servirão para o professor trabalhar durante todo o ano sem o perigo de levar músicas de que os alunos não gostam. A ficha será um documento de referência musical da turma.
Fonte:http://www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp?id=1300
Revista Construir Notícias

VOLTA ÀS AULAS: COMO FAZER A ADAPTAÇÃO DOS PEQUENOS QUE IRÃO PARA A CRECHE

26/01/2009

Amanda Polato

Especial para o UOL Educação

"O momento de se separar das crianças e colocá-las na creche ou pré-escola causa medo e insegurança, que são sentimentos legítimos", explica Gisela Wajskop, especialista em educação infantil e diretora do curso de pedagogia do Instituto Singularidades.
Décadas atrás, as crianças entravam mais tarde na escola, aos cinco ou seis anos, e a separação entre a mãe e o bebê era feita de forma mais lenta. "Hoje em dia, a quebra é muito rápida. Os pais até se sentem culpados por não poder passar mais tempo com o bebê", conta Wajskop.

Crianças aproveitam fim de férias

O primeiro passo para a família ficar mais segura é escolher bem a escola. A diretora do Singularidades sugere que os pais não façam a opção só pela racionalidade: "Não adianta escolher uma escola bilíngue, mas com uma equipe na qual a mãe não confia".
Além de se sentirem bem atendidos e acolhidos, os pais precisam concordar com a proposta pedagógica e as regras da escola. "A criança percebe se o pai critica a escola o tempo todo", avisa.
Depois de escolhida a escola, vem um período de adaptação, tanto para as crianças quanto para os pais. Antes do primeiro dia, as escolas costumam fazer uma entrevista com os pais, para saber mais sobre a criança.
Coordenadores pedagógicos recomendam que eles digam o que o filho está acostumado a comer, qual o horário de sono, questões médicas e qualquer outra particularidade.
Nos primeiros dias do bebê na creche, muitas escolas particulares pedem que os pais ou outro adulto de referência permaneçam na instituição. "O abandono é traumático. Não existe mais aquela história de deixar a criança no portão da escola e sair correndo. Com o período de adaptação, também não tem choradeira", diz a diretora do Instituto Singularidades.
Aos poucos, a confiança dos pais e do bebê na escola vai aumentando. Para isso, os especialistas recomendam que a parceria seja incrementada com muita conversa. Pais precisam ouvir a escola e vice-versa.
Fonte: UOL educação

alfabeto para colar no caderno

História do Carnaval

O que é
O carnaval é considerado uma das festas populares mais animadas e representativas do mundo. Tem sua origem no entrudo português, onde, no passado, as pessoas jogavam uma nas outras, água, ovos e farinha. O entrudo acontecia num período anterior a quaresma e, portanto, tinha um significado ligado à liberdade. Este sentido permanece até os dias de hoje no Carnaval.

História do Caraval
O entrudo chegou ao Brasil por volta do século XVII e foi influenciado pelas festas carnavalescas que aconteciam na Europa. Em países como Itália e França, o carnaval ocorria em formas de desfiles urbanos, onde os carnavalescos usavam máscaras e fantasias. Personagens como a colombina, o pierrô e o Rei Momo também foram incorporados ao carnaval brasileiro, embora sejam de origem européia.
No Brasil, no final do século XIX, começam a aparecer os primeiros blocos carnavalescos, cordões e os famosos "corsos". Estes últimos, tornaram-se mais populares no começo dos séculos XX. As pessoas se fantasiavam, decoravam seus carros e, em grupos, desfilavam pelas ruas das cidades. Está ai a origem dos carros alegóricos, típicos das escolas de samba atuais.
No século XX, o carnaval foi crescendo e tornando-se cada vez mais uma festa popular. Esse crescimento ocorreu com a ajuda das marchinhas carnavalescas. As músicas deixavam o carnaval cada vez mais animado.
A primeira escola de samba surgiu no Rio de Janeiro e chamava-se Deixa Falar. Foi criada pelo sambista carioca chamado Ismael Silva. Anos mais tarde a Deixa Falar transformou-se na escola de samba Estácio de Sá. A partir dai o carnaval de rua começa a ganhar um novo formato. Começam a surgir novas escolas de samba no Rio de Janeiro e em São Paulo. Organizadas em Ligas de Escolas de Samba, começam os primeiros campeonatos para verificar qual escola de samba era mais bonita e animada.
O carnaval de rua manteve suas tradições originais na região Nordeste do Brasil. Em cidades como Recife e Olinda, as pessoas saem as ruas durante o carnaval no ritmo do frevo e do maracatu.
Os desfiles de bonecos gigantes, em Recife, são uma das principais atrações desta cidade durante o carnaval.
Na cidade de Salvador, existem os trios elétricos, embalados por músicas dançantes de cantores e grupos típicos da região. Na cidade destacam-se também os blocos negros como o Olodum e o Ileyaê, além dos blocos de rua e do Afoxé Filhos de Gandhi.

Escolas de Samba Vencedoras nos Últimos Carnavais no Rio de Janeiro :

1998 - Mangueira

1999 - Imperatriz Leopoldinese

2000 - Imperatriz Leopoldinese

2001 - Imperatriz Leopoldinese

2002 - Mangueira

2003 - Beija-Flor

2004 - Beija Flor

2005 - Beija-Flor

2006 - Unidos de Vila Isabel

2007 - Beija-Flor

2008 - Beija-Flor

2009 - Acadêmicos do Salgueiro

Escolas de Samba Vencedoras nos Últimos Carnavais em São Paulo:

1998 - Vai-Vai

1999 - Vai-Vai, Gaviões da Fiel

2000 - Vai-Vai, X-9 Paulistana

2001 - Vai-Vai, Nenê de Vila Matilde

2002 - Gaviões da Fiel

2003 - Gaviões da Fiel

2004 - Mocidade Alegre

2005 - Império de Casa Verde

2006 - Império de Casa Verde

2007 - Mocidade Alegre

2008 - Vai-Vai

2009 - Mocidade Alegre

Atividades Carnaval





















Plano de Aula na Concepção Construtivista

2º Ano do Ensino Fundamental
DATA: ....../...../......
ASSUNTO: Produção de textos e Sílabas.

NECESSIDADE:
Este conteúdo é suma importância para que o educando possa assimilar de forma significativa o processo leitura-escrita.
Quando o professor traz para a sala de aula textos diversificados que faz parte da realidade do educando e estimula a criança a ter acesso a eles, ela vai perceber que o que lê na escola vai ter também fora da escola.
É necessário ainda que a criança seja estimulada a ler textos produzidos por ela desde início da alfabetização. O professor e os demais envolvidos no processo precisam respeitas s tentativas de leituras destas crianças
A concepção construtivista, define a aprendizagem como um processo de troca mútua entre o meio e o indivíduo, tendo o outro como mediador. O aluno é um elemento ativo que age e constrói sua aprendizagem. Cabe ao professor instigar o sujeito, desafiando, mobilizando, questionando e utilizando os “erros” de forma construtiva, garantindo assim uma reelaboração das hipóteses levantadas, favorecendo a construção do conhecimento. Nesta concepção o aluno não é apenas alguém que aprende, mas sim o que vivencia os dois processos sendo ao mesmo tempo ensinante e aprendente. Vygotsky; defende a importância da simbolização no processo de aprendizagem. Para Piaget o comportamento dos seres vivos nem é inato, nem é resultado de condicionamentos. Para ele é construído numa interação entre organismo e meio: quanto mais complexa essa interação mais “inteligente” é o indivíduo.

OBJETIVO GERAL:
Trabalhar o processo de leitura-escrita com os alunos através do lúdico.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
- Levantar as hipóteses sobre as cenas das gravuras apresentadas:
- Fazer interpretação das cenas das gravuras levando em conta os conhecimentos prévios de cada um;
- Produzir um texto escrito com ilustrações conforme a interpretação de cada um.

CONTEÚDOS: Leitura e Escrita

METODOLOGIA:
- A metodologia utilizada será através de atividade individuais e coletivas com a interação professor e aluno durante o desenvolvimento das atividades em sala.
- No próximo momento o professor colocará as gravuras fixadas no quadro negro. Posteriormente, será feito uma interpretação das mesmas juntamente com os alunos. Serão levantadas as hipóteses de cada educando em relação s gravuras em destaques. Todas as interpretações dos alunos serão anotadas no quadro negro para que seja feita uma leitura destacando as sílabas existentes nas palavras geradoras.
- No e próximo momento os alunos farão uma produção de texto com pequenas frases com ilustração sobre as gravuras apresentadas.
Em último momento os educando apresentarão o seu texto produzido para os demais colegas em sala.

TEMPO:

RECURSOS: Caderno, lápis, borracha, guadro negro, lápis de cor, gravuras e o texto.

AVALIAÇÃO:
Avaliar como os alunos se desenvolveu durante as atividades em sala de aula, analisando a participação de cada e o seu processo de assimilação dos conteúdos do dia. Posteriormente, será feito uma reflexão da aula do referido dia, levando em conta os pontos significativos e negativos.

OBSERVAÇÃO: ( Neste item coloca como foi a participação dos alunos durante as atividades propostas em sala.

Planejamento Semanal

27/04/09 à 30/04/09

INSTITUIÇÃO:
DIREÇÃO:
TURMA: Maternal II Profª: Cláudia Turno: vesp.
DISCIPLINAS: Linguagem Sonora/ Musical, Linguagem Oral, Linguagem Plástica e Ciências Naturais
CONTEÚDOS: Contos Infantis, Cantigas infantis, Desenvolvimento físico ( corpo
humano)

OBJETIVO GERAL
Fazer com que a criança identifique as partes que compõem o corpo, tome consciência de si mesma, de seus semelhantes, estatura (mais alto e mais baixo), gordo e magro, e gênero ( menina e menino).

OBJETIVOSESPECÍFICOS:
Levar os alunos à:
- conhecer o seu corpo como em todas e em partes;
- identificar os cuidados com o corpo
- identificar-se como ser social, construtor de sua identidade pessoal;
- conhecer as principais partes do corpo;
- desenvolver a coordenação motora fina;
- desenvolver a expressão corporal conhecendo os órgãos dos sentidos;
- desenvolver a linguagem oral;

METODOLOGIA ( PROCEDIMENTOS):
Nesta semana será dado continuidade nos conteúdos relacionados com o corpo humano.
As atividades serão desenvolvidas de forma individual e coletiva com a interação professor e aluno.
1º momento: círculo da conversa e oração da tarde ( Pai Nosso);
2º momento: cantigas infantis sobre o tema “Meu corpinho”.
3º momento: atividades programadas (brincadeiras, pintura, colagem entre outras conforme a programação das atividades do dia);
4º momento: lanche;
5º momento: brincadeiras livres com a interação professor-aluno ( casinhas, jogos de montar, quebra-cabeça do corpo humano entre outros);
6º momento: espera dos pais .

ATIVIDADES DA SEMANA:
· Cantigas infantis;
· Contos infantis;
· Colagem e pintura ( no sulfite em anexo);
· Brincadeiras livres com o corpo;
· Vídeo infantil.
1º DIA ( segunda- feira)
1º momento: oração, cantigas infantis e contos infantis;
2º momento: montagem do corpo humano no sulfite;
3º momento: lanche;
4º momento: brincadeiras livres com o corpo no pátio; ( esquema corporal)
5º momento: contos infantis e espera dos pais.

2º DIA ( terça-feira)
1º momento: oração, cantigas infantis.
2º momento: quebra-cabeça do corpo humano confeccionado pela professora;
3º momento: lanche;
4º momento: brincadeira com as crianças em sala envolvendo o corpo ( esquema corporal).
5º momento: desenhos infantis na TV e espera dos pais

3º DIA ( quarta-feira)
1º momento: oração, cantigas infantis e contos infantis;
2º momento: pintura no sulfite envolvendo o gênero ( menina ou menino);
3º momento: lanche;
4º momento: brincadeiras livres no gramado,
5º momento: contos infantis e espera dos pais.

4º DIA ( quinta-feira)
1º momento: aula de arte ( hora atividade);
2º momento: educação física ( hora-atividade );
3º momento: lanche
4º momento: DVD infantil
5º momento: leituras de livros didáticos e espera dos pais.

5º DIA ( sexta-feira)

OBS: FERIADO ( Dia do trabalho)

RECURSOS:
CDs; pincel; televisão; aparelho de som; sulfite; tinta guache; crepom; EVA; cola; fita larga, papel manilha e cola branca.

AVALIAÇÃO DA SEMANA:
A avaliação será através de registro diário por parte da professora do desenvolvimento da aprendizagem de cada aluno durante as atividades propostas em sala de aula.
OBS: Os registros serão feitos no caderno de registro.

Professora Cláudia de O. Andrade                       Visto da Coordenação Pedagógica
...................................................                         .......................................................

lembrancinha Volta as Aulas

Máscaras para o carnaval














CANAL PEDAGÓGICO

Comente:

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também