Seguidores

Pesquisar este blog

PARA SALVAR AS IMAGENS, CLIQUE NAS IMAGENS PARA VISUALIZAR MELHOR.

1. Escolha a imagem;
2. Clique no botão direito do mouse;
3. Escolha a opção “Salvar Imagem Como ...”
4. Escolha o local a ser salvo a imagem;
5. Clique em salvar e pronto.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Dia da Árvore




Brasil
No hemisfério sul, o dia 22 de Setembro marca a chegada da primavera, estação onde a natureza parece recuperar toda a vida que estava adormecida pelos dias frios de inverno.

No Brasil, carregamos fortes laços com a cultura indígena que deu origem a este país; um deles é o amor e respeito pelas árvores como representantes maiores da imensa riqueza natural que possuímos.

Confirmando o carinho e respeito pela natureza, no Brasil, há 30 anos (favor incluir a data em que se começou a comemorar o dia da árvore, pois a referencia relativa(30 anos) não é o suficiente), formalizou-se então o dia 21 de Setembro como o Dia da Árvore - o dia que marca um novo ciclo para o meio ambiente; e o tempo para reforçarmos nossos apelos para a conscientização de todos em favor do meio ambiente.

De acordo com o Decreto Federal nº 55.795 de 24 de fevereiro de 1965, foi instituída em todo o território nacional, a Festa Anual das Árvores, em substituição ao chamado "Dia da Árvore" na época comemorado no dia 21 de setembro.

Conforme previsto no Art 3º, "a Festa Anual das Árvores, em razão das diferentes características fisiográfico-climáticas do Brasil, será comemorada durante a última semana do mês de março nos Estados do Acre, Amazonas, Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia e Territórios Federais do Amapá, Roraima, Fernando de Noronha e Rondônia; e na semana com início no dia 21 de setembro, nos Estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro, Guanabara; Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Distrito Federal."

Em algumas regiões do Brasil por força do costume, muitas pessoas não observam que não existe mais a comemoração do DIA DA ÁRVORE. O correto é observar qual a semana adequada para a comemoração da FESTA ANUAL DAS ÁRVORES, de acordo com a localização do Estado, última semana do mês de março ou semana com início no dia 21 de setembro.
(fonte: wikipedia)

poesia "Dia da Árvore"




A ÁRVORE

"Criança, a árvore merece
A nossa estima sincera
Dá frutos doces no outono
E flores na primavera.

Nunca maltrates uma árvore
A quem tudo nós devemos
Desde a madeira da porta
Ao lápis com que escrevemos.

Na sombra da árvore amiga
Pensa bem no teu destino
Pois dela foi feito
O teu berço pequenino."

Autor: Raul Aroeira Serrano

conto infantil "A árvore mágica"




Era uma vez um menino muito esperto, ativo e inteligente que vivia numa cidade bem bonita e cheia de coisas interessantes. Sua curiosidade era sem tamanho e vivia em movimento buscando conhecer coisas novas. Como não tinha irmãos e nem amigos próximos de sua casa, inventava brincadeiras solitárias e criava todo um mundo de fantasias que lhe preenchiam o tempo e o desejo de se manter em constante movimento.

Numa dessas brincadeiras, inventou que a grande mangueira que ficava no quintal de sua casa era mágica e que a cada galho em sua escalada havia uma surpresa e o desafio de chegar ao galho superior. Munido de uma corda e de uma lanterna, lançou-se na escalada da mangueira mágica.
Como o primeiro galho era alto, teve de usar a corda para conseguir superar o tronco, chegando ao desejado galho. Já seguro e estável, partiu em busca da surpresa que lhe estava reservada. Olhou com cuidado por toda a extensão do galho, chegando a seus ramos, folhas e frutos. Notou que havia muitas marcas e formigas, possivelmente por ser o galho mais baixo da árvore. Muitas pessoas já devem ter subido aqui, pensou ele, amarrando cordas ou feito coisas que lhe deixaram essas marcas. Era um galho “vivido” e não apresentava frutos. Considerou então que a surpresa daquele galho eram suas marcas e passou assim a buscar o próximo galho.

Havia outros da mesma altura, mas que não lhe revelariam surpresas, pois eram idênticos ao que já havia pesquisado. O ideal seria buscar um galho mais alto. Viu que havia um bem fácil de subir e outro mais difícil de escalar. Optou pelo mais fácil e sem muito esforço o alcançou. Viu que era um galho praticamente sem marcas e com muito menos formigas. Notou que este possuía frutos e mais folhas, sendo um pouco mais escuro e protegido dos raios solares. Imediatamente partiu em busca da surpresa e notou com espanto que no encontro de alguns de seus ramos se formava um pequeno refúgio onde havia um gato repousando. Pareceia ser um canto bem confortável e fácil de ser alcançado pelo animal. Lá ele poderia chegar ao chão sem muito esforço ou sair sorrateiro para caçar algum pássaro mais distraído. O gato foi a “surpresa” do galho e mais interessado nessa descoberta, olhou para o galho da mesma altura que era mais difícil de ser alcançado. Optou por explorá-lo ao invés de partir para outro mais alto. Com alguma dificuldade, conseguiu equilibrar-se na difícil ramificação e notou que era bem provido de frutos, quase bloqueado de tantas folhas e pequenos galhos. Levantando alguns ramos, foi entrando um pouco mais e viu encantado um pequeno ninho com três pequenos ovos rosados. Não havia pássaros, apenas os ovos. Como sabia que os pássaros não gostam que mexam em seus ovos, respeitou o ninho, ficando apenas alguns minutos apreciando a beleza daqueles pequenos ovos que um dia dariam vida a passarinhos famintos e engraçados por ainda não terem penas. O ninho e seus ovos foram a surpresa desta vez.

Saciada sua curiosidade, voltou alguns metros para poder analisar o próximo galho. Viu que não seria uma escalada das mais fáceis. Teria de ser bastante astuto e ágil para poder alcançá-lo. Ficou analisando o local, escolhendo onde colocaria as mãos e cada um dos pés. Não se sentiu seguro em nenhuma das possibilidades de subida. Continuou a pensar e concluiu que seu próximo passo seria desafiador e viável apenas com a ajuda da corda. Nessa hora pensou: “tomara que a surpresa daquele galho valha a pena!”.

Lançou a corda e com alguma dificuldade conseguiu fixá-la e obter apoio para escalar. Com muito cuidado foi se movendo e superando todos os obstáculos e dificuldades, conseguindo alcançar o novo patamar. Escolheu com atenção a posição em que iria se acomodar e uma vez seguro, limpou o suor do rosto e olhou ao redor. Estava no entardecer e o grande número de folhas tornava aquele local escuro. Olhou para frente, para a esquerda e quando olhou para a direita, quase caiu dado o susto que levou ao ver no final do galho dois pontos que brilhavam no ar. Ainda assustado e com o coração disparado ligou a lanterna e apontou-a para os pontos brilhantes. Qual não foi a surpresa ao ver que se tratava de um gambá que, como ele, estava tão assustado e sem entender o que aquele menino fazia em seu esconderijo. Como se tivessem feito um pacto de paz, apenas ficaram se entreolhando por alguns minutos, tendo a luz da lanterna percorrido todo o pequeno animal. O menino nunca tinha chegado tão perto de um gambá e assustado, quase perdeu o equilíbrio. A mexida no galho em virtude do desequilíbrio do menino fez o gambá ficar com medo e expelir seu líquido de odor insuportável. Ao perceber o cheiro horrível a sua volta, sem pensar duas vezes o menino deu um pulo, alcançou o galho superior e enquanto levantava as pernas viu o gambá passar como um raio por onde ele estava, descendo rapidamente da mangueira.

Tendo eleito o gambá a surpresa do galho anterior, foi se ajeitando no novo galho e passando a explorá-lo. Já era um ramo bem próximo do alto da árvore. Ficou muito surpreso ao verificar que havia uma pequena caixa pregada junto ao tronco. Parecia ser uma caixa de madeira, daquelas que antigamente vinham com sabonetes. Partiu em sua direção e ao alcançá-la notou que dentro dela havia um pequeno papel dobrado. Pegou a folha e ao abri-la, observou que era um mapa de tesouro! Era na verdade um mapa feito por outra criança e que tinha algumas setas, desenhos e um “x” em vermelho no final de um dos traços. Com letras bem infantis, pôde ler que se tratava do tesouro do pirata da barba vermelha e que poderia ser um tesouro bem valioso. “Isto sim é que é surpresa!” Dobrou o mapa com cuidado e o colocou no bolso. Olhou para cima e viu que só havia mais um galho. Resolveu partir para a escalada final.

Já estabelecido no galho mais alto da mangueira, levantou-se com cuidado e sua cabeça ficou acima dos ramos. Desse modo, de pé no galho mais alto, pode ver todo o quintal, a sua casa e ainda o quintal dos vizinhos. Era uma visão privilegiada, reservada apenas a quem se aventurasse a subir tão exuberante árvore. Ficou apreciando a paisagem e nesse momento ouviu sua mãe gritar seu nome, avisando-o que estava na hora de entrar para tomar um banho e jantar. Decretou a visão especial como a surpresa do último galho e iniciou a decida.

Após alguns minutos, estava novamente no chão. Olhou para cima e como que agradecendo à mangueira, lhe deu um sorriso. Partiu então para a casa.

Tendo tomado o banho, foi para a mesa do jantar e enquanto saboreava a deliciosa comida que sua mãe havia feito, começou a contar uma história fantástica sobre piratas e tesouros, algo que não surpreendia seus pais, uma vez que toda noite havia uma história nova no jantar. Porém, dessa vez havia mais do que fantasia. Em determinado momento da história, tirou do bolso o mapa do tesouro e o mostrou ao seu pai. O pai, quase que imobilizado fixou o olhar naquele pequeno pedaço de papel e sem mover um músculo, deixou escorrer pelo rosto duas lágrimas. Uma em cada face do rosto.

O menino e sua mãe ficaram surpresos com aquela reação do pai e imediatamente perguntaram o que havia ocorrido. O pai então, enxugando as lágrimas, disse com a voz ainda embargada pela emoção: “Eu sou o pirata da Barba Vermelha! Desenhei esse mapa quando tinha 8 anos e isso já faz mais de três décadas”.

Ao mesmo tempo em que falava foi em direção ao filho e enquanto o abraçava, observava o pequeno e infantil mapa do tesouro. A mulher foi ao encontro dos dois e os abraçou, fechando um abraço de família que há tempos não acontecia. Nessa hora o menino olhou pela janela e viu brilhar no alto da mangueira uma luz que parecia dizer-lhe: “Sou mesmo uma árvore mágica!”.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Hino da Independência do Brasil

Letra: Evaristo Ferreira da Veiga
Música de: D. Pedro I.

Já podeis, da Pátria filhos,
Ver contente a mãe gentil;
Já raiou a liberdade
No horizonte do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Os grilhões que nos forjava
Da perfídia astuto ardil...
Houve mão mais poderosa:
Zombou deles o Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Não temais ímpias falanges,
Que apresentam face hostil;
Vossos peitos, vossos braços
São muralhas do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre
Ou morrer pelo Brasil.

Parabéns, ó brasileiro,
Já, com garbo varonil,
Do universo entre as nações
Resplandece a do Brasil.

Brava gente brasileira!
Longe vá... temor servil:
Ou ficar a pátria livre

Projeto didático Semana da Pátria


Instituição:
Turma: 4º e 5º Ano
Duração: 1 semana

Justificativa:
Este projeto didático visa trabalhar o tema "Pátria" despertando a consciência nos alunos sobre o seu papel de cidadão e cidadania, refletindo o que é ser patriota. Cabe a escola desenvolver estratégias de ensino para trabalhar as datas cívicas ou sociais.

Objetivos:
- Comemorar as datas cívicas de nosso País;
- Refletir sobre o que é ser patriota;
- Resgatar a importância das Horas Cívicas;
- Conhecer melhor a nossa história;
- Conceituar o que é ser cidadão e o que é cidadania;
- Valorizar os símbolos de nossa Pátria;
- Conhecer e valorizar os direitos e deveres de todos nós, cidadãos.

Desenvolvimento:
As atividades serão desenvolvidas de forma individual e coletiva com a interação professor e aluno.
- textos informativos, literários, poéticos;
- vídeos;
- Hinos;
- Pesquisas;
- Cartazes;
- Murais;
- jogral;
- Jograis.

1º dia
No primeiro dia será destacado para os alunos o conceito de Pátria, e a importância de respeitarmos as datas cívicas de nosso País. Será destacado através de cartazes a letra do hino Nacional brasileiro e do hino da Idependência do Brasil para os alunos. Os mesmos procurarão em dicionários o significado de algumas palavras contidas nos hinos brasileiros. Posteriormente, os alunos receberão atividades no sulfite envolvendo ortografia e substantivos comuns e próprios.

2º DIa
Neste dia será feita leitura de poesias relacionadas com o tema em destaque. Posteriormente, os alunos desenvolverão uma produção de texto sobre o tema acima.As produções de terxtos serão fixadas no mural da sala para os demais colegas.

3º Dia
Neste dia, os alunos desenvolverão poesias com ilustrações relacionadas com o tema em destaque. Após a elaboração das poesias os mesmos farão leitura para os demais colegas de sala. Em seguida, receberão um desenho para colorir sobre a Pátria.

4º Dia
Neste dia os alunos irão conhecer alguns direitos e deveres de cidadãos através de textos informativos. Logo em seguida, os alunos receberão uma atividade de pesquisa sobre "A Independência do Brasil". Os mesmos irão pesquisar na biblioteca e farão um apresentação em sala para os demais colegas.

5º Dia
Neste último dia de projeto os alunos farão a culminância fazendo uma apresentação da pesquisa sobre a Independência do Brasil. Neste dia, os alunos desenvolverão atividades de pinturas relacionadas com o tema em destaque.

OBS: Além das atividades acima, os alunos realizarão atividades de leitura-escrita envolvendo ( ortografia, sílabas complexas, substantivos simples e próprio, etc) com tema em destaque.

Recursos:
sulfite, quadro-negro, cartolinas, papel manilha, fita adesiva, Cds, aparelho de som,etc.

Avaliação:
A avaliação será através de registros do desenvolvimento da aprendizagem dos alunos frente as atividades propostas em sala de aula durante o desenvolvimento do projeto.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Planejamento semanal de ensino " Folclore"


10/08/09 à 14/08/09

INSTITUIÇÃO:
DIREÇÃO:
TURMA: Maternal II Profª: Cláudia Turno: vesp.
COORDENADORA:
DISCIPLINAS ENVOLVIDAS: Linguagem Sonora/Musical, Linguagem Oral e Linguagem Plástica.
CONTEÚDOS: Contos Infantis, Cantigas infantis, Colagem, Cores, Expressão Corporal e Cores Primárias relacionadas ao projeto didático “O Folclore”.

OBJETIVO GERAL
Valorizar as expressões folclóricas, como forma de preservação do conhecimento popular e resgate da identidade cultural, integrando as diversas áreas de estudo e aproveitando as experiências dos alunos.

OBJETIVOSESPECÍFICOS:
Levar os alunos à:
- estimular e ampliar a linguagem oral;
- estimular o gosto pelos contos infantis;
- desenvolver a expressão corporal;
- revisar as cores primárias;
- desenvolver a coordenação motora.


METODOLOGIA ( PROCEDIMENTOS):
Nesta semana serão desenvolvidas atividades relacionadas com o tema do projeto didático em destaque. As atividades serão desenvolvidas de forma individual e coletiva com a interação professor-aluno em sala de aula.a

1º momento: círculo da conversa e oração da tarde ( Pai Nosso);
2º momento: cantigas infantis e contos relacionados com o tema do projeto;
3º momento: atividades programadas (brincadeiras, pintura, colagem entre outras conforme a programação das atividades do dia);
4º momento: lanche;
5º momento: brincadeiras livres com a interação professor-aluno (amarelinha, corre cutia, chicotinho queimado, boliche e parque );
6º momento: espera dos pais .

ATIVIDADES DA SEMANA:Cantigas infantis;
Contos infantis;
Colagem e pintura ( no sulfite em anexo);
Brincadeiras livres;
Vídeo infantil.

1º DIA ( segunda- feira)1º momento: oração, cantigas infantis e contos infantis;
2º momento: atividade de colagem e pintura relacionado com o tema “Folclore” ( em anexo);
3º momento: lanche;
4º momento: brincadeira livre na sala (corre-cutia);
5º momento: espera dos pais ouvindo conto infantil.

2º DIA ( terça-feira)1º momento: oração, cantigas infantis relacionada com o projeto;
2º momento: brincadeiras lúdicas ( roda e dança) relacionada com o projeto;
3º momento: lanche;
4º momento: brincadeiras livres no pátio;
5º espera dos pais cantando musiquinhas que fazem parte do folclore.

3º DIA ( quarta-feira)
1º momento: oração, cantigas infantis e contos infantis;
2º momento: colagem e pintura no sulfite ( em anexo) relacionada ao tema em destaque;
3º momento: lanche;
4º momento: término das atividades;
5º momento: brincadeiras livres de roda na sala;
6º momento: atividades com peças de montar (EVA) e espera dos pais.

4º DIA ( quinta-feira)1º momento: aula de arte ( hora atividade);
2º momento: educação física ( hora-atividade );
3º momento: lanche
4º momento: DVD infantil ( Sítio do Pica Pau Amarelo) )relacionado com o projeto acima.
5º momento: espera dos pais.

5º DIA ( sexta-feira)
1º momento: oração e cantigas infantis;
2º momento: conto infantil relacionado com tema do projeto acima;
3º momento: lanche
4º momento: hora atividade
5º momento: hora atividade

RECURSOS:
CDs; pincel; televisão; aparelho de som; sulfite; tinta guache; lápis de cor; cola quente crepom; EVA; cola; fita larga, papel manilha e cola branca.

AVALIAÇÃO DA SEMANA:
A avaliação será através de registro diário por parte da professora do desenvolvimento da aprendizagem de cada aluno durante as atividades propostas em sala de aula.
OBS: Os registros serão feitos no caderno de registro.

Professora Coordenação
........................................................ ...............................................

CANAL PEDAGÓGICO

Comente:

assine o feed

siga no Twitter

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também